Sporting não sai do nulo no fecho da pré-época; Nice foi mais perigoso; Patrício (o MVP) defendeu um penalti; Coates acumulou mais uma má exibição; Extremos voltaram a não fazer a diferença (falta 1 elemento acima da média)

Sporting 0-0 Nice

O Sporting colocou um ponto final numa pré-época pouco conseguida ao empatar a 0 com o Nice, um resultado que nem traduz o que foi o encontro já que o conjunto francês teve um maior ascendente na 2.ª parte e as melhores oportunidades de golo. Jesus apresentou um 11 (Patrício, Schelotto, Coates, Semedo, Jefferson, William, Adrien, João Mário, Bruno César, Bryan e Alan Ruíz) que provavelmente irá medir forças com o Marítimo, mas a equipa voltou a juntar às dificuldades no momento defensivo (Coates tem estado a um nível deplorável) à falta de capacidade no ataque, principalmente nas alas, com João Mário e principalmente Iuri, Bruno César e Gelson a pouco acrescentarem (falta claramente um elemento acima da média neste sector). Pela positiva a exibição de Patrício, que evitou a derrota ao defender um penalti e somou a isso várias defesas de bom nível.

O encontro começou com um falhanço de Plea, que aos 6 minutos, completamente isolado, atirou ao lado quando tinha tudo para marcar. Os leões tentaram responder e Bryan Ruiz aos 21 minutos também podia ter facturado mas o chapéu que fez ao guarda-redes do Nice não resultou. O Sporting estava melhor e pouco depois o camisola 10 teve novamente oportunidade para marcar mas permitiu a defesa a Cardinale. A seguir foi Bruno César a ameaçar mas o remate saiu às malhas laterais. Já em cima do intervalo o Nice teve uma oportunidade flagrante para chegar ao golo mas Patrício defendeu o penalti de Plea. No 2.º tempo voltou a ser o Nice a entrar melhor mas Koziello isolado fez um chapéu por cima da baliza de Patrício. Os franceses estiveram melhor mas o com as substituições (Podence entrou e saiu na 2.ª parte, dando o lugar a Paulista) a juntar à falta de ideias dos leões, excepção para um remate de Slimani um pouco ao lado do poste, foi perdendo interesse. Já perto do fim o Nice teve mais uma boa oportunidade para marcar mas Patrício voltou a fazer a diferença com uma boa defesa.

Sporting - Os resultados da pré-época valem pouco ou nada, o Benfica foi exemplo disso o ano passado, mas o balanço a nível de resultados (5 derrotas, 2 empates e apenas duas vitórias, uma delas contra uma equipa amadora) a juntar ao mau futebol foi péssimo. A primeira parte arrancou com os leões a mostrarem imensas dificuldades no controlo da profundidade, com os adversários a conseguirem entrar com facilidade pelo corredor central, fruto de alguma inércia de William, mas também dos problemas de Coates em acompanhar a velocidade e mobilidade de Plea. Ainda assim, e após a fase de maior aperto do Nice - resultou em duas chances claras de golo -, o conjunto de Jesus estabilizou e mostrou-se apto a controlar o ritmo da partida. No segundo tempo os Franceses não se aproximaram tanto da baliza de Patrício e, no meio de várias alterações da equipa, os leões continuaram a assumir as rédeas da partida, algo que não se repercutiu em lances de perigo. Individualmente, destaque para as exibições de Semedo (bastante melhor que o seu parceiro Coates a fazer valer a sua maior velocidade e qualidade técnica), Schelotto (enquanto esteve em campo foi o principal desequilibrador com a equipa a canalizar imenso jogo para o seu lado) e Rui Patrício (o melhor guarda redes do campeonato da europa foi decisivo ao travar um penalty, acumulando ainda algumas intervenções e saídas que dificultaram a tarefa a quem finalizava). Quem não esteve tão bem foi Coates (lento, faltoso e com abordagens pouco lúcidas), Jefferson (uma sombra daquilo que consegue produzir ofensivamente) e os vários médios ofensivos/extremos que pisaram o relvado (Gelson, Bruno César, Iuri e Podence) que raramente conseguiram oferecer criatividade à equipa. Nota ainda para alguns bons pormenores de Alan Ruiz, embora sem continuidade e demasiado afastado da zona de finalização.

Etiquetas: