Sporting regressa às derrotas na pré-época; Defesa apresentou muitas fragilidades (Zeegelaar comprometeu); Paulista não ganhou pontos

Sporting 2-3 Betis (Alan Ruiz 17'e Slimani 74'; Rubén Castro 27', 29', 58')

Voltam as dores de cabeça para Jorge Jesus. Depois da vitória (e do crescimento exibicional) frente ao Wolfsburgo, o Sporting foi derrotado pelo Betis por 3-2, naquele que foi o 5.º desaire desta pré-época. Jorge Jesus apostou num onze com Rui Patrício; Schelotto, Naldo, Coates e Zeegelaar; William, Bruno Paulista, Gelson Martins e Bruno César; Bryan Ruíz e Alan Ruíz, mas os leões, apesar de terem entrado a vencer, revelaram muitas fragilidades defensivas (Zeegelaar voltou a evidenciar um nível muito fraco). Destaque também para a aposta em Bruno Paulista como 2.º médio, no entanto o brasileiro chumbou no teste (várias perdas de bola).

Quanto ao encontro, o Sporting começou por criar perigo aos 7', com uma boa combinação entre Alan Ruiz e Schelotto a isolar o lateral que, perante o guarda-redes, atirou por cima da barra. Os leões arrancaram melhor e chegariam mesmo ao golo aos 17', com Bryan Ruiz a trabalhar bem na direita e a cruzar rasteiro, tendo só Alan Ruiz que encostar para o fundo da baliza. 10 minutos depois, o Betis, na sua 1.ª aproximação à baliza de Rui Patrício, chegou ao empate: uma perda de bola de Bryan Ruiz leva a um contra-ataque dos andaluzes, com Sanabria a fugir a Zeegelaar pela direita e a cruzar para Rubén Castro, de cabeça, marcar. A igualdade durou muito pouco tempo, já que os espanhóis deram mesmo a volta ao marcador, e novamente por Rubén Castro, com o melhor marcador da história do Betis a receber já dentro da área um passe de Jonas Martin e a rematar encostado ao poste direito, deixando Patrício pregado ao solo. No 2.º tempo Jorge Jesus operou várias alterações, mas foi o Betis a aumentar a vantagem: Rubén Castro é lançado nas costas de Paulo Oliveira e assiste Sanabria, que remata para Patrício defender mas o ressalto vai parar aos pés do veterano avançado que completou o seu hat-trick pessoal e fez o 3-1. O jogo entrou depois numa toada mais morna até que já na entrada para a parte final Slimani, de cabeça, deu a melhor sequência a um livre batido por Jefferson e reduziu para 3-2, resultado com que a partida acabou por terminar.

Sporting - Boa entrada dos leões na partida, mas, após uma fase de maior de domínio e de terem chegado à vantagem, os erros defensivos voltaram a prejudicar a turma de Jorge Jesus (Zeegelaar e Paulista a comprometerem). Na 2.ª parte, boa reacção na fase final, mas pouco critério no último terço. Destaque para os dois bons golos, sendo que defensivamente há muito para trabalhar e erros que não se podem cometer na alta competição. Individualmente, William dominou o meio-campo na primeira meia hora, Gelson conseguiu agitar e Schelotto deu a habitual acutilância ao flanco direito no primeiro tempo. Por outro lado, Jefferson e Iuri Medeiros exibiram-se a um melhor nível, enquanto que João Pereira, apesar de também agitar o lado direito, raramente executou bem. Pela negativa, Zeegelaar voltou a sentir dificuldades e a não acrescentar nada ofensivamente, Paulista chumbou no teste (muitos passes errados), Podence não teve impacto novamente e os centrais também não conseguiram ser eficazes. Por fim, destaque para a estreia de Meli no lado direito do meio-campo, que apresentou qualidade a espaços.

Etiquetas: ,