Sporting soma terceiro jogo seguido sem marcar; Alan Ruiz foi a principal unidade dos leões no 1.º tempo, Semedo o melhor da 2.ª parte; Bruno César e Iuri Medeiros acrescentaram pouco; Coates continua uns furos abaixo do aceitável

Imagem: Facebook Sporting
Sporting 0-0 Villarreal

Num jogo lento, quase sem oportunidades de golo (a melhor pertenceu aos leões já nos descontos), o Sporting foi derrotado nos penaltis pelo Villarreal no torneio Ibérico, depois do empate a 0 nos 90 minutos. O conjunto de Jesus, que já vai no 3.º encontro seguido sem marcar, voltou a apresentar alguma falta de ideias no momento ofensivo, mas em compensação deixou melhores indicações no plano defensivo, principalmente na 2.ª parte quando Semedo entrou. Alan Ruiz foi novamente o reforço em maior destaque, já elementos como Bruno César (a extremo tem feito pouco), Jefferson, Iuri Medeiros e Petrovic não marcaram pontos. Também Coates tem apresentado um nível insuficiente nesta pré-época.

Em relação ao encontro, o Villarreal entrou melhor e teve algumas oportunidades de visar a baliza de Azbe Jug, que desta vez conseguiu corresponder. Do outro lado, Alan Ruiz foi novamente o maior agitador. Primeiro colocou a bola em Ruiz, que de bicicleta testou a atenção de Asenjo e depois rematou forte de fora da área para a defesa do mesmo. Pouco depois, o Villarreal voltou a ameaçar o golo, num lance em que Jug largou a bola. Até final do primeiro tempo, destaque para a lesão de Petrovic, enquanto que a melhor oportunidade dos leões surgiu num golo anulado a Barcos. Na 2.ª parte o clube leonino teve mais iniciativa, a entrada de Podence agitou um pouco a partida, mas as oportunidades de golo foram nulas. As melhor pertenceu a Iuri, que nos descontos, atirou ao poste, depois de uma iniciativa de Slimani. Nos penaltis, o portista Andrés Fernández defendeu duas penalidades, contra uma de Jug, e deu o troféu ao Villarreal.

Sporting - Duas partes distintas. Na primeira, os leões voltaram a acusar a maioria dos problemas dos anteriores desafios. Perdas de bola constantes, dificuldade na pressão e na cobertura dos espaços e crise de ideias de momento ofensivo (Alan Ruiz foi o único a remar contra a maré). Por outro lado, a 2ª parte foi mais positiva, havendo um maior rigor no momento defensivo e uma maior clareza na circulação de bola. Schelotto trouxe a habitual acutilância, Matheus e Slimani também agitaram, Palhinha esteve melhor que Petrovic (continua a revelar muita lentidão de processos), Rúben Semedo, apesar de um ou outro passe errado, esteve impecável no desarme, tal como Naldo. Por outro lado, João Pereira e Jefferson saem com nota negativa, acumulando erros de posicionamento e de abordagem aos lances, assim como Iuri Medeiros (apesar de ter atirado ao poste, esteve muito apagado), Coates e Bryan Ruiz continuam muito aquém do que já apresentaram, Bruno César, que actuou na posição 8, acumulou passes errados, embora tenha isolado Matheus na parte final, Podence não teve grande impacto e Barcos foi novamente anulado pela defensiva contrária.

Etiquetas: