Sporting humilhado pelo PSV (5-0); Iuri e Matheus nada acrescentaram; Palhinha não ganhou pontos; Defesa voltou a estar desastrada

Sporting 0-5 PSV (De Jong 4' g.p. e 55', Locadia 21', Hendrix 41' e Maher 48')

O Sporting fechou o estágio na Suíça de maneira humilhante ao levar uma manita do PSV (5-0). Os leões, que jogaram 65 minutos com 10, devido à expulsão de Aquilani, nem ameaçaram o campeão holandês (que teve 70% de posse de bola) e defensivamente, à semelhança do que tinha acontecido contra o Mónaco e Zenit, voltaram a acumular muitos erros individuais e colectivos, alguns deles mesmo a roçar o amadorismo. O guardião Stojkovic, e os defesas Jefferson, João Pereira e Naldo estiveram particularmente mal. No ataque Iuri Medeiros e Matheus Pereira também não ganharam pontos.

Quanto ao jogo, começou logo com o golo do PSV: Naldo comete uma grande penalidade e, na conversão, Luuk de Jong bate Stojkovic para o 1-0. Os leões voltaram a ter uma má entrada em jogo e aos 21' um livre lateral a favor do Sporting pessimamente marcado deu origem a uma situação de contra-ataque, com Maher a correr quase meio-campo sem oposição (João Pereira foi batido) e a oferecer o golo a Locadia. As coisas iam de mal a pior para a equipa de JJ e aos 34' Aquilani viu o 2.º amarelo e foi expulso, 7 minutos antes de Stojkovic defender para a frente um remate e permitir a Hendrix fazer o 3-0. No 2.º tempo, o cenário manteve-se, 1.º com Maher a rematar de longe para o 4-0 (de novo com Stojkovic mal na fotografia) e depois com Luuk de Jong a aproveitar as fragilidades defensivas do Sporting para o 5-0. A partir daí, os holandeses tiraram o pé do acelerador, Jesus promoveu várias alterações que melhoraram um pouco a equipa (entraram nomes como Schelotto,  Semedo, Gelson, Ruiz ou Slimani) e pouco mais aconteceu até ao apito final.

Destaques:

Sporting - Desastre. Os leões fecharam um estágio marcado pelos maus resultados e com um resultado que, apesar de estarmos em pré-época, deixa sempre marcas no plano anímico (já foi notório algum descontrolo emocional nesta fase). Jesus apostou em Stojkovic; João Pereira, Naldo, Ewerton e Jefferson; João Palhinha, Aquilani, Iuri Medeiros, Matheus Pereira, Podence Alan Ruiz e desde o início se viu um colectivo com dificuldades para dominar os acontecimentos, com uma circulação pouco agressiva e, sobretudo, com a permeabilidade defensiva que tem marcado estes particulares (tem sido demasiado fácil para os adversários chegar ao último terço e criar perigo). O que é certo é que este início de temporada está a deixar o treinador do Sporting a suspirar pelo regresso dos campeões da Europa e por reforços que façam, realmente, a diferença. Individualmente, na baliza as dores de cabeça para Jorge Jesus aumentaram, já que às más prestações de Jug juntou-se Stojkovic, que foi-se limitando a ir buscar as bolas ao fundo das redes, estando mal em 2 dos golos sofridos, ao passo que na defesa João Pereira falhou de maneira clara num golo e Jefferson foi uma autêntica auto-estrada para os adversários, sendo constantemente batido nas costas (também a dupla Naldo-Ewerton teve nota negativa, não tendo capacidade para resolver os problemas que iam surgindo). No meio-campo, Palhinha voltou a não ganhar pontos, não só porque não policiou eficazmente o seu raio de acção como também esteve pouco preciso com bola, enquanto Aquilani pareceu jogar já com a cabeça noutro lado, “pedindo” a expulsão ao protestar uma grande penalidade e ter um comportamento excessivamente agressivo num lance. Mais na frente, elementos como Iuri, Matheus ou Alan Ruiz não ganharam pontos, enquanto que Podence ainda protagonizou algumas acções positivas, mas foi muito pouco no meio de tão fraca prestação colectiva.

Etiquetas: ,