Rumo à Bola de Ouro'2016

Desde que Ronaldo e Messi se erigiram como os melhores da sua geração, dividindo entre si a maioria dos galardões individuais, a “rivalidade” entre ambos transfigurou a forma como futebolistas, adeptos e o universo do futebol em geral encaram a Bola de Ouro. Nesse sentido, o Visão de Mercado irá mensalmente (com 2 top's extra no meio e final do Ano, com pontuações a dobrar) indicar num ranking aqueles que mais fizeram para conseguir o prémio de melhor jogador do Mundo de 2016 com critérios bem ponderados, ilustrando uma espécie de corrida entre as várias estrelas do futebol mundial. A ideia passa por atribuir uma pontuação aos jogadores que mais se destacaram nesse mês para que no final deste ano civil seja possível, de uma maneira justa, eleger aqueles que foram verdadeiramente os melhores.

Um mês recheado de destaques (nomes como Ronaldo, Ramsey, Modrić, Iniesta, Giaccherini, James, Dempsey ou Renato Sanches também podiam ter figurado neste Top). Mas tendo em conta a maneira como o individual contribuiu para o sucesso coletivo, este é o "Rumo à Bola de Ouro'2016" de Junho:

1.º Lionel Messi (Argentina) - O melhor jogador do Mundo em Junho. O argentino entrou condicionado para a Copa América, já que não jogou contra o Chile e nos outros 2 jogos do Grupo D cumpriu apenas 73 de 180 minutos possíveis. No entanto, fez logo um hat-trick em meia hora contra o Panamá e na fase a eliminar fartou-se de jogar, fazer jogar e desequilibrar, acabando com 5 golos e 4 assistências em 5 jogos. Na final contra o Chile, fez mais uma boa exibição, com imensas ações a solo, mas quebrou nas grandes penalidades.
2.º Alexis Sánchez (Chile) - Foi a figura da equipa vencedora da Copa América Centenário e até recebeu o prémio de melhor jogador da competição. O chileno bisou contra o Panamá e marcou na goleada ao Chile, fazendo ainda duas assistências.
3.º Gareth Bale (País de Gales) - O melhor jogador do Euro 2016 até ao momento. O galês, que está num super-momento, é o melhor marcador da prova com 3 golos e liderou Gales, que tem feito um percurso fantástico.
4.º Eden Hazard (Bélgica) - Um golo e 3 assistências em Junho e a melhor exibição de um jogador no Europeu. O belga chegou ao Campeonato da Europa em grande forma e Conte já esfrega as mãos, esperando retirar o melhor proveito possível do craque.
5.º Dimitri Payet (França) - O jogador sensação da primeira jornada, onde marcou um golaço que salvou a França de um empate embaraçoso frente à Roménia. Depois disso ainda marcou à Albânia cravando o seu lugar no 11 inicial francês.
6.º Toni Kroos (Alemanha) - O melhor médio do Europeu. Sempre a pautar o jogo da Alemanha, o médio do Real Madrid tem sido indiscutível para Low, fazendo sempre os 90 minutos a alto rendimento. Fez ainda uma assistência frente à Ucrânia.
7.º Arturo Vidal (Chile) - Dois golos e duas assistências na Copa América 2016 e, apesar de também ter falhado uma grande penalidade na final, foi decisivo no bis. O médio do Bayern voltou a apresentar toda a sua qualidade nos Estados Unidos, imprimindo sempre uma intensidade incrível no meio campo de La Roja.
8.º Eduardo Vargas (Chile) - O melhor marcador da Copa América, com 6 tentos. Vargas ainda não rendeu na Europa, mas quando chega à Seleção transcende-se e forma com Alexis uma dupla mortífera. Resultado: mais uma Copa América para o currículo.
9.º Ivan Perišić (Croácia) - Falhou no jogo contra Portugal, mas foi brilhando na Euro'2016, em particular frente à Espanha, onde marcou e assistiu.
10.º Jérôme Boateng (Alemanha) - 0 golos sofridos pela Alemanha no Euro até aos quartos-de-final e o maior "culpado" disso foi o central do Bayern que tem sido um autêntico bombeiro na defesa germânica. Marcou ainda um golo importante, abrindo o marcador nos oitavos-de-final frente à Eslováquia.
11.º Pepe (Portugal) - Começou mal, com exibições tremidas na fase de grupos, mas frente à Croácia e à Polónia fartou-se de brilhar, cortando tudo o que havia para cortar. O central luso-brasileiro tem sido um autêntico salva-vidas na defesa de Fernando Santos e assentam nele muitas das esperanças de Portugal em seguir em frente.
12.º Antoine Griezmann (França) - O francês nem começou bem o Euro'2016, com uma má exibição frente à Roménia, mas no jogo seguinte saltou do banco para ser herói. Sendo que nos oitavos-de-final, voltou a salvar a França frente à Irlanda com 2 golos no segundo tempo, que viraram o jogo.
13.º Leonardo Bonucci (Itália) - Brilhou no Europeu com a sua qualidade defensiva e uma capacidade formidável para fazer passes longos.
14.º Gonzalo Higuaín (Argentina) - Fica ligado ao falhanço na final da Copa América, ainda para mais quando há 1 ano tinha falhado 1 penalti também na final e em 2014 uma oportunidade flagrante contra a Alemanha mas até à decisão estava a ser uma das figuras do torneio, tendo tido um papel decisivo nos quartos-de-final e meias-finais, saindo mesmo da competição com o estatuto de 3.º melhor marcador.
15.º Claudio Bravo (Chile) - O jogador que fez a diferença na final da Copa América. O guardião realizou uma das defesas do Ano e ainda segurou o troféu ao defender a grande penalidade de Biglia.




Etiquetas: