Com os campeões europeus ficou mais fácil... mas só na 1.ª parte; Patrício foi o MVP; Segundas linhas do Sporting viram os jovens do Wolfsburgo superiorizarem-se no 2.º tempo

Sporting 2-1 Wolfsburg (Slimani 26' e Adrien 33' g.p.; Donkor 78')

O Sporting conseguiu finalmente uma vitória frente a uma equipa de I Liga nesta pré-época ao derrotar o Wolfsburgo, arrebatando assim o Troféu Cinco Violinos. Uma partida com duas caras, com os leões a deixarem boas indicações no 1.º tempo mas a verem o emblema alemão a acumular oportunidades na 2.ª parte. O conjunto de Jesus, já com os campeões da Europa e um XI que não deve fugir muito ao que vai iniciar a época (Patrício, Schelotto, Semedo, Coates, Marvin, William, Adrien Silva, João Mário, B. César, Bryan Ruiz e Slimani), no 1.º tempo apresentou claras melhorias no momento com bola, principalmente na circulação, passe e posse, mas igualmente na reacção à perda; já nos segundos 45 minutos, com o menor fulgor físico a juntar às substituições viu o rival, que também tinha uma equipa recheada de jovens em campo, superiorizar-se. A nível individual Patrício com 3 excelentes defesas acabou por ser o principal destaque, num jogo em que Bruno César esteve em 2 golos e William dominou no meio campo nos primeiros 55 minutos.

Em relação ao encontro, a partida começou de forma equilibrada, tendo o Sporting um maior domínio sobre a posse de bola. Aos 28 minutos Slimani desbloqueou o resultado, aproveitando uma falha de Dante dentro da grande área, enquanto que Adrien, após grande penalidade cometida sobre Bruno César, ampliou pouco depois. Pelo meio Bruno César tentou de meia distância, mas não acertou na baliza. O Wolfsburgo tentou reagir e, após um corte de Coates na sequência de um cruzamento de Didavi que quase dava auto-golo do uruguaio, esteve perto de reduzir, mas Rui Patrício, numa grande parada, negou o golo a Rodríguez. No segundo tempo as alterações sucederam-se, mas os alemães, apesar de colocarem muita juventude em campo, foram superiores. Kruse e Donkor criaram inúmeros problemas, sendo que, após Patrício negar o golo ao avançado alemão por duas ocasiões em que se encontrava completamente isolado, o jovem extremo reduziu o marcador, aproveitando um centro de Azzaoui. Até final, foram os leões quem mais perto estiveram do golo. Podence, na grande área, rematou fraco para as mãos de Casteels e, pouco depois, naquela que terá sido a melhor jogada do encontro, Aquilani não conseguiu introduzir igualmente a bola no fundo das redes.

Destaques:

Sporting - No regresso dos campeões europeus ao 11, os leões conseguiram voltar aos triunfos, numa partida onde, sobretudo na primeira parte, apresentaram mais qualidade.William, Adrien e João Mário acrescentaram qualidade ao meio-campo, havendo mais capacidade na circulação de bola, mais segurança e uma melhor reacção à perda, enquanto que Slimani, no primeiro desafio como titular, molhou a sopa. Na baliza, Patrício provou novamente que é insubstituível no plantel, efectuando duas paradas de grande nível. Quanto aos restantes, Bruno César esteve nos dois golos e, apesar de não ter feito uma grande exibição, marcou pontos; Rúben Semedo rubricou uma boa exibição e Zeegelaar esteve mais seguro. Por outro lado, Schelotto, esteve mais discreto, assim como Bryan Ruiz, e Coates voltou a evidenciar alguma lentidão. Já em relação aos suplentes, nenhum marcou pontos, num claro sinal de que as segundas linhas não deixarão Jorge Jesus tranquilo. Ewerton e Jefferson acumularam erros, sendo batidos facilmente, João Pereira teve muitos problemas com Donkor, Palhinha não conseguiu novamente impor-se no miolo, Aquilani, que perderá espaço com a chegada de Meli, desperdiçou a única situação de golo dos leões no segundo tempo, Matheus e Iuri raramente conseguiram desequilibrar, enquanto que Podence e Alan Ruiz pouco acrescentaram. 

Etiquetas: