Benfica sofre 3 golos em 10 minutos e fecha pré-época a perder; Celis não passou no teste; Carrillo continua apagado; Grimaldo marcou um golaço, Cervi foi o principal destaque na 2.ª parte

Lyon 3-2 Benfica (Fekir 18', Cornet 25' e Lacazette 28' g.p.; Grimaldo 21' e A. Almeida 51')

O Benfica perdeu, em França, contra o Olympique de Lyon no último jogo da pré-época antes de defrontar o SC Braga na Supertaça de Portugal. Os encarnados, sem Jonas, Salvio, Fejsa, Jardel, Ederson ou Zivkovic, mas com um XI (Júlio César; André Almeida, Luisão, Lindelof e Grimaldo; Samaris, Celis, Pizzi e Carrillo; Gonçalo Guedes e Mitroglou) já próximo do que deve começar a temporada (a excepção deve ser o meio campo), até começaram bem a partida, mas um misto de erros individuais e colectivos permitiu ao conjunto gaulês marcar 3 golos em apenas 10 minutos, o que se revelou decisivo para o resultado final. Grimaldo (belo livre) e André Almeida ainda marcaram, Cervi destacou-se no inicio da 2.ª parte, mas as águias com o passar dos minutos revelaram alguma incapacidade para chegar pelo menos ao empate.

Quanto ao encontro, Fekir, depois de uma fase em que o Benfica até já tinha ameaçado, inaugurou o marcador aos 18 minutos com um remate bem colocado de pé esquerdo, num lance em que a defesa encarnada ficou a pedir fora-de-jogo. Mas logo a seguir as águias fizeram o empate com Grimaldo num livre muito bem executado a bater Lopes. O jogo estava entretido e Cornet bem assistido por Morel, completamente sozinho no centro da área, fez  2-1. Pouco depois o 3.º com Lacazette a ampliar de penalti depois de uma falta de Celis sobre Rafael. A 2.ª parte começou logo com 2 lances de perigo de Cervi, que tinha substituído Carrillo, mas o guardião do Lyon evitou o golo nas duas ocasiões. O Benfica ameaçava e acabou mesmo por marcar, com André Almeida, de cabeça, a aproveitar uma má saída de Gorgelin. Luisão esteve perto do 3-3, mas até final o principal destaque foram os primeiros minutos de Danilo com a camisola do Benfica e a lesão de Rui Fonte, que teve de ser substituído pouco depois de entrar em campo.

Benfica - Encontro complicado para Rui Vitória já que certamente ficou com mais dúvidas do que certezas. Júlio César, que fechou o jogo com uma boa intervenção, no regresso à titularidade, apesar dos 3 golos que sofreu, não deu indicações claras sobre o seu momento. A defesa (sem o lesionado Jardel) acumulou muitos erros e não permitiu dar uma certeza sobre qual o quarteto mais forte nesta fase (Lindelof ainda está longe da melhor forma), curiosamente a nível ofensivo os laterais marcaram e Luisão esteve perto do 3-3. No meio campo, Celis na estreia a titular destacou-se essencialmente pelo exagero de faltas (uma deu penalti) e mau posicionamento, já Samaris teve sempre uma postura muito passiva. Nas alas Carrillo teve algumas iniciativas individuais, mas continua longe do que pode acrescentar (jogar à esquerda não o beneficia). Enquanto que no ataque tanto Mitroglou como Raúl se tem demonstrado demasiado trapalhões. Pela positiva, os bons minutos de Cervi, que agitou a 2.ª parte e foi o protagonista da melhor fase das águias.

Etiquetas: ,