Benfica dá espectáculo; Semedo destacou-se, Salvio mostrou serviço; André Almeida e Rui Fonte também marcaram; Zivkovic assistiu na estreia

Benfica 4-0 Derby County (Semedo 16’, Rui Fonte 54’, André Almeida 64’ e Salvio)

O Benfica, com uma exibição convincente, venceu a Algarve Cup ao golear o Derby County, por 4-0. As águias, apesar de estarmos na pré-época, apresentaram uma dinâmica ofensiva interessante e com várias unidades em destaque não deram hipótese a um adversário do Championship, que se apresentou sempre muito agressivo. Semedo e Salvio, que aumentaram muito o nível competitivo em relação ao que tinham apresentado na última metade da última época, estiveram em destaque. Já Zivkovic somou os primeiros minutos pelas águias, tendo feito a assistência para o 4-0. Num jogo em que Fejsa, voltou a encher o campo, e Rui Fonte (um bom golo e vários movimentos de qualidade) ganhou pontos na luta por um lugar no plantel.

No que diz respeito ao jogo, o Benfica controlou a primeira parte, entrando melhor e chegando à vantagem através de um belo remate de Nélson Semedo à entrada da área. Já perto do intervalo, as águias estiveram perto de ampliar, mas Gonçalo Guedes não conseguiu concretizar em dois lances. Para a segunda parte Rui Vitória realizou muitas alterações, mas o Benfica continuou a dominar e chegou ao 2-0 (Benitez já tinha desperdiçado uma chance) num bom cabeceamento de Rui Fonte. Nesta altura, os jogadores encarnados iam construindo excelentes jogadas de envolvimento e chegaram mesmo ao terceiro com um grande golo de André Almeida, com um remate em arco de fora da área. Até ao final, o ritmo de jogo baixou, mas ainda houve tempo para Salvio dilatar o marcador, concluindo bem um cruzamento de Zivkovic.

Benfica - Colectivamente foi uma exibição com vários pontos comuns à do 1.º jogo (muita mobilidade, qualidade individual no último terço e grande envolvimento dos laterais) com diferença no marcador, tanto pela eficácia como pela maior ousadia do adversário que não se limitou apenas ao seu meio-campo, beneficiando o jogo organizado da equipa de Rui Vitória. Fica também a força nas bolas paradas ofensivas - algo que já vem da época transacta - acabando frequentemente em situações de perigo para os encarnados, algo natural pela superior estatura e agressividade de vários dos seus jogadores. Individualmente, nota positiva para Semedo (a exibir-se ao nível dos melhores jogos da temporada passada, muito forte ofensivamente e a marcar a diferença pela velocidade e agilidade), Fejsa (na linha do último encontro a equilibrar a equipa e a encher o campo) e Salvio que continua a mostrar-se solto e a somar pontos na luta pela titularidade. Para além destes, destaque para a dupla Jovic-Guedes, com o Português mais envolvido no jogo, com várias combinações com o lateral e o extremo, ficando apenas na retina um lance em que poderia ter decidido melhor. Por outro lado, Cervi foi o avançado menos em foco (repete em demasia alguns movimentos quando se encontra no corredor esquerdo) e a luta Teixeira-Horta não teve um claro vencedor, ainda que o ex-Setúbal tenha tido mais bola (é certo que beneficiou de mais minutos). No 2.º tempo, Rui Fonte aproveitou para fazer um golo e deixar em campo a sua inteligência nos movimentos sem bola, Benítez, pela sua mobilidade, deixou de igual modo boas indicações, sendo Luisão, porventura, a pior notícia, dada a sua inércia e lentidão para antecipar e acompanhar adversários.

Etiquetas: