FC Porto conquista Troféu Cidade de Guimarães; André Silva não para de marcar; Otávio ganhou pontos; Adrián López entrou bem na segunda parte

Vit. Guimarães 0-2 FC Porto (André Silva 8' e 32')

O FC Porto venceu o Vit. Guimarães por duas bolas a zero, levando para casa o Troféu Cidade de Guimarães. Os dragões fizeram a melhor exibição desta pré-época, mostrando finalmente qualidade na construção de jogo e acerto na mobilidade do ataque, e venceram um Vitória que, apesar de ter tido mais remates e ter feito um bom segundo tempo, raramente levou perigo à baliza de José Sá. Otávio, a confirmar-se como o reforço que tem ganho mais pontos, e André Silva, que já leva 7 golos em 7 jogos na pré-época, foram os grandes destaques, num encontro em que Casillas, Brahimi e Aboubakar não estiveram na ficha de jogo.

Quanto ao encontro, Nuno apostou num 11 com José Sá, Maxi, Alex Telles, Felipe, Marcano, Herrera, Corona, Danilo, André André, André Silva e Otávio e começou melhor o FC Porto que dispôs logo de uma excelente hipótese para se adiantar no encontro logo no primeiro minuto, mas André André no cara-a-cara com Douglas, permitiu a defesa ao guardião brasileiro. Pouco depois, jogada individual de Corona, que cruza contra um adversário, a bola vai ter a Douglas que defende para a frente, e André Silva atira para o fundo das redes, fazendo o primeiro do jogo. Dois minutos depois foi o Vitória a levar perigo, num remate traiçoeiro de Tozé, mas José Sá levou a melhor. O FC Porto estava bem no encontro e André Silva, num passe magistral de Otávio, quase fazia o segundo, mas Douglas negou o golo. Não foi aos 27', mas 5 minutos depois, num lance completamente idêntico, Otávio volta a fazer um passe de mestre, picando sobre a defesa vimaranense, e André Silva, desta feita, não perdoou. Até final da primeira parte, o jogo ficou mais "quentinho", mas as duas equipas foram para o descanso sem haver mais perigo junto das balizas. Para o segundo tempo entraram Layún para o meio campo e Adrián López e seria o espanhol a poder marcar por duas vezes, mas na primeira sofreu falta quando seguia isolado e na segunda cabeceou para boa defesa de Douglas. O Vitória melhorou no jogo, também por causa das entradas de Ricardo Valente e Hurtado e foi crescendo na segunda parte, tendo tido nos pés de Francis a melhor oportunidade, quando um cruzamento mal tirado foi de encontro à trave. Seguiram-se muitas alterações, de parte a parte, que tornaram o ritmo de jogo mais lento, mas até final Adrián López e Felipe, ambos de cabeça, ainda estiveram perto de tornar a vitória mais expressiva.

Destaques:

FC Porto - Bom teste, principalmente nos primeiros 45 minutos do encontro onde deu para ver algumas das coisas que Nuno Espírito Santo pretende, como baixar Herrera na construção e um maior acerto nas zonas de pressão de bola, e a equipa deu uma boa resposta nesse sentido. No segundo tempo, fruto também das alterações, não se viu tanta fluidez de jogo, mas as oportunidades foram aparecendo, o que é assinalável, tendo em conta a dificuldade que o FC Porto vinha mostrando nesse capítulo. Individualmente, grande destaque para André Silva, que leva 7 golos em 7 jogos de pré-temporada e hoje mostrou mais uma vez a sua qualidade, tanto na finalização, como principalmente nas movimentações, ficando clara a ideia de que deve começar a época a titular. Otávio também ganhou pontos, aliás tem sido o "reforço" em maior destaque, assim como Alex Telles, forte no ajuntamento aos centrais e criterioso no ataque. Corona também fez um bom primeiro tempo, o meio-campo mostrou-se bem coordenado, mas faltou uma maior coordenação no centro da defesa, onde Felipe e Marcano denotaram algumas dificuldades. Dos suplentes que entraram, Adrián López mostrou serviço, principalmente no jogo de área, Bueno também acrescentou qualidade, mas João Carlos Teixeira, talvez pela ânsia de querer mostrar-se, fez quase tudo mal.

Vit. Guimarães - O 4-4-2 inicial de Pedro Martins não resultou, faltando alguém que rompesse linhas pelo meio (Tozé, que jogou descaído para a esquerda, ainda tentou fazer esse papel), mas acima de tudo que ligasse o meio-campo ao ataque. Douglas, na baliza, foi a principal nota de destaque, os centrais sofreram imenso perante André Silva e Adrián López, enquanto que os laterais ofereceram um boa projeção ofensiva (os cruzamentos de Rúben Ferreira são sempre perigosos). O meio-campo concentrou-se mais em tentar estancar o jogo do FC Porto, já que João Pedro mostrou alguma limitação. Na frente Areias pareceu um peixe fora de água.

Etiquetas: ,