De Gea nega envolvimento em caso de abuso sexual e continua no Euro

Titularidade para Casillas? Seria estranho ver o portista relegar para o banco um dos 3 melhores guarda-redes da actualidade, mas depois deste escândalo não será surpreendente se Del Bosque optar por apostar no veterano.

David de Gea, guarda-redes da selecção espanhola, viu hoje o seu nome ser envolvido num caso de abuso sexual que aconteceu em 2012, no entanto, ao contrário do que alguma imprensa chegou a noticiar, vai continuar no Euro'2016. O dono da baliza do Man Utd numa conferência de imprensa negou o seu envolvimento no caso e disse que esse assunto foi entregue aos advogados, realçando que esta situação não irá prejudicar a sua participação no Campeonato da Europa. Recordamos que uma mulher, integrada num programa de proteção de testemunhas num caso contra um empresário da indústria pornográfica, acusou o guarda-redes De Gea, do Man. United e o avançado Iker Muniain, do Athletic de Bilbau, de terem estado envolvidos num caso de abuso sexual em 2012. Os nomes dos dois futebolistas surgem citados pelo portal "El Diário", que publicou excertos da investigação ao empresário Ignácio Fernádez Allende, conhecido como Torbe, preso desde abril de 2015, sob acusação de tráfico de humanos para exploração sexual, pornografia infantil, lavagem de dinheiro e outros crimes. O relato da testemunha está integrado na Operação Universal, da Brigada Central contra o Tráfico de Seres Humanos, da Polícia Nacional espanhola, que acusa o proprietário de um portal de conteúdo sexual de ser o líder de uma rede de prostituição que abusava de mulheres espanholas e de outros países, algumas menores de idade. No caso que implica De Gea e Muniain, o avançado terá participado numa festa em que se encontravam menores, que terá sido financiada pelo guarda-redes. O caso remonta a 2012, num hotel de cinco estrelas. O jornal "El Confidencial", por sua vez, acrescenta Isco, médio do Real Madrid, à lista de atletas implicados no caso.

Etiquetas: