França tremeu, desiludiu, mas talento de Payet fez a diferença; Griezmann e Pogba desiludiram; Roménia (que esteve perto da surpresa) só caiu em cima dos 90

França 2-1 Roménia (Giroud 57' e Payet 89'; Stancu 65' g.p.)

Não há jogos fáceis. O Euro'2016 começou de maneira mais equilibrada do que se pensava com a França a derrubar a Roménia apenas em cima dos 90 e numa fase em que pouco fez por isso. Os gauleses, apesar de terem tido mais lances ofensivos, apresentaram algumas dificuldades no momento com posse e aquelas que são na teoria as duas principais figuras: Griezmann e Pogba, não conseguiram fazer a diferença (o avançado do Atlético esteve particularmente discreto). Melhor esteve Payet, a unidade mais do conjunto de Deschamps, tendo o médio ofensivo tido uma participação directa nas melhores situações da França, e garantindo mesmo a vitória com um lance incrível. Já a Roménia juntou a uma boa organização (o segredo é não permitir os ataques rápidos da França) uma postura desinibida que até permitiu criar oportunidades claras de golo. Os centrais Chiricheș e Grigore, apoiados pelo médio Pintilli estiveram em destaque.

Quanto ao encontro, começou praticamente com uma soberana oportunidade para a Roménia: canto da esquerda, desvio ao primeiro poste e Stancu, em cima da linha de golo, remata para defesa de Lloris. A França respondeu aos 10', com Payet a servir Giroud que de cabeça rematou desviado, tendo estado novamente muito perto de abrir o activo aos 14', com Griezmann, na sequência de um cruzamento de Sagna, a cabecear ao poste. Depois destas 3 flagrantes ocasiões no início da partida, esta acalmou um pouco, com a turma de Deschamps a ter mais bola mas com alguns problemas para incomodar o bloco romeno, tendo só criado perigo aos 35', novamente com Griezmann perto do golo, e em cima do intervalo, com Giroud a cabecear por cima, chegando o jogo ao descanso com um nulo. A etapa complementar começou tal como primeira, com uma flagrante chance desperdiçada por Stancu: excelente passe de Stanciu e o número 19 da Roménia, solto na área, a rematar ao lado do poste esquerdo do Lloris. Respondeu a França de novo com Giroud perto do golo, tendo Payet estado uma vez mais em destaque aos 56', ao trabalhar muito bem na esquerda e a solicitar Pogba, que disparou forte para defesa de Tatarusanu. E o golo francês chegou mesmo aos 58', com Giroud a ganhar nas alturas ao guardião romeno e a fazer o gosto ao pé para o primeiro golo do Europeu. No entanto, a festa da equipa da casa durou pouco, já que 7 minutos depois Viktor Kassai assinala grande penalidade por falta de Evra e, na conversão, Stancu não falha e faz o 1-1. Deschamps tentou mexer com o jogo, tirando Pogba e Griezmann, mas a equipa continuou com muitas dificuldades para criar perigo (não incomodou Tatarusanu durante largos minutos), mas já em cima dos 90 Payet garantiu os 3 pontos com um tiro incrível, um autêntico golaço.

Destaques:

França -  Muitas dificuldades na estreia, mas o mais importante foi conseguido, ainda para mais numa competição em que uma vitória no primeiro jogo representa um passo de gigante para estar na próxima fase. Mas este jogo deve ter deixado Deschamps algo preocupado, já que a sua equipa revelou muitas dificuldades em organização ofensiva, com problemas para fazer uma circulação de bola fluida e abusando do passe longo, surgindo os seus melhores momentos quando teve espaço para correr nas transições. Individualmente, Evra protagonizou uma má abordagem no lance que resultou na grande penalidade, ao passo Kante, como é hábito, fartou-se de roubar bolas e de interceptar transições do adversário, apesar de com bola se notar que está longe de ser um médio-defensivo organizador. Um pouco mais à frente, Pogba esteve abaixo do esperado, não dando a qualidade em posse que se pedia e abusando do passe longo, sendo que também Griezmann desiludiu (ambos os jogadores acabaram substituídos), não só porque pouco se viu mas também porque quando apareceu desperdiçou duas oportunidades flagrantes. Giroud acabou por marcar depois de alguns falhanços, mas o rei da noite foi mesmo Payet: o jogador do West Ham protagonizou uma super-exibição, gerando perigo permanentemente, quer recebendo entre-linhas, quer descaindo nas alas, colocando vários vezes os companheiros em posição privilegiada para marcar e culminando tudo isto com um golaço mesmo a acabar que deu a vitória a França e o coloca já como primeiro grande nome do Europeu.

Roménia - O que fica do jogo é a derrota que praticamente obriga a selecção romena a não perder no próximo desafio com a Suíça, mas é verdade é que a formação de Iordanescu deixou uma bela imagem, complicando muito a vida de uma das principais favoritas à vitória final. O principal mérito, sem bola, terá sido o de conseguir quase sem evitar as transições gaulesas, obrigando o adversário a um jogo de ataque posicional no qual se sente incómodo, ao passo que no momento ofensivo a Roménia, para além do golo, dispôs de mais duas oportunidades flagrantes que podiam ter mudado a história do jogo. No plano individual, Tatarusanu acaba por ficar negativamente ligado ao golo de Giroud, ao passo que a linha defensiva apresentou um excelente nível, sobretudo os centrais    Chiricheș (excelente leitura dos jogos e uma técnica anormal) e Grigore. No meio-campo, saltou à vista o bom posicionamento de Pintolii, uma espécie de motor da equipa, ao passo que mais na frente Stanciu não teve muitas oportunidades para mostrar a sua qualidade, acabando por ser o seu quase-homónimo Stancu a estar muito em jogo, primeiro com dois falhanços e depois ao marcar o golo do empate.

Etiquetas: , ,