Faleceu Muhammad Ali; Colômbia entra a vencer com golos de Zapata e James

Uma das personagens mais emblemáticas na história do desporto, que gostava de dar espectáculo antes, durante e depois dos combates, onde flutuava "como uma borboleta" e picava "como uma abelha", mas que também tinha um papel importante na sociedade pelo seu activismo pelos direitos civis e pela personalidade.

Muhammad Ali, o lendário ex-campeão mundial de boxe, morreu esta madrugada, aos 74 anos. Depois de um combate de 32 anos contra a doença de Parkison, Muhammad Ali morreu, aos 74 anos de idade", anunciou o porta-voz da família, Bob Gunnell. Nasceu Cassius Clay, em 1942.  Começou a lutar como amador aos 12 anos e ganhou fama aos 18, ao conquistar o ouro nos Jogos Olímpicos de Roma na categoria meio-pesado. Aos 22 anos tornou-se campeão do mundo, derrotando Sonny Liston. Em 1964 converteu-se ao Islão, mudando de nome para Muhammad Ali. Foi depois polémico para lá do desporto, recusando-se, em 1967, a ir para a guerra do Vietname. A atitude custou-lhe a perda do título mundial e uma ausência forçada dos ringues durante três anos. Mas voltou a conquistá-lo em 1974 e 1978, sendo mesmo considerado o maior pugilista da história da modalidade. Alguns dos seus combates são mesmo eternos, como o chamado "the rumble in the jungle", em Kinshasa, contra o campeão George Foreman, que venceu.

Bacca foi o avançado centro dos Cafeteros; James saiu com queixas no ombro; Klinsmann lançou o jovem Christian Pulisic (nasceu apenas em 1998) na 2.ª parte - No jogo inaugural da Copa América Centenário, a Colômbia bateu os anfitriões Estados Unidos da América por 2-0, graças a golos de Zapata e James Rodriguez. No primeiro tempo, o conjunto de Klinsmann teve mais bola, mas a circulação era lenta, previsível e muitas vezes imprecisa, pelo que não conseguia gerar perigo, sendo mesmo os cafeteros a abrirem o marcador logo aos 8', com Zapata a corresponder da melhor forma, com um remate de pé direito, a um cruzamento da direita. Perto do intervalo, aos 42', o árbitro assinala grande penalidade por mão na bola de Yedlin e na transformação James bate Guzan para fazer o 2-0, que deixou logo os EUA numa tarefa muito incómoda para o segundo tempo. 

Etiquetas: ,