Portugal é um dos seis países a testar vídeo árbitro

Fim das discussões no futebol (ou, como se vê pelos comentários, mesmo com a decisão do supervisor, haverá sempre quem defenda que determinado lance era penalti, etc, conseguindo assim continuar a alimentar o debate e a pressionar os árbitros)? Não somos a favor da introdução das novas tecnologias, com a excepção da que já existe da linha de golo, nem acreditamos que as mesmas mudem o cenário actual, das pressões constantes e de serem o único motivo de discussão no futebol, mas esperemos que ao menos sirva para tirar tempo de antena a alguns intervenientes. O que se lamenta é que não se faça nada para contrariar um dos principais "cancros" do futebol, que é as partidas terem cada vez menos tempo útil de jogo, devido às constantes paragens. E bastavam duas ou três regras, até simples, para melhorar esta situação, como: obrigar os guarda-redes a repor a bola no tempo estabelecido, penalizar os jogadores que agarram a bola sempre que param o jogo através de uma falta, e estabelecer um tempo para assistência aos guarda-redes.

Portugal vai ser um dos seis países do mundo a receber testes para a implementação do vídeo árbitro, anunciou hoje a International Board (IFAB), entidade que regula as leis no futebol. A estreia desta tecnologia em Portugal vai ocorrer na Supertaça Cândido Oliveira, a 07 de agosto, no embate entre o tricampeão Benfica e o Sporting de Braga, vencedor da Taça de Portugal. Os restantes nove jogos em solo luso serão também em encontros organizados pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF), casos dos jogos dos quartos de final, das meias-finais e da final da Taça de Portugal. Além de Portugal, também Austrália, Brasil, Alemanha, Holanda e Estados Unidos vão integrar esta primeira fase de testes durante a época 2016/17, em jogos oficiais e sem divulgação pública, sendo que a segunda está marcada para 2017/18, já de forma experimental e pública. “Enquanto isso, mediante a conclusão bem-sucedida dos testes iniciais, o Mundial de Clubes de 2016, a realizar no Japão, está também definido como um evento teste final, antecedendo as experiências públicas na época seguinte”, lê-se no comunicado da IFAB. Em abril, a FPF tinha ficado integrada no grupo de estudos, logo passível de acolher testes, um mês depois de o IFAB, , ter aprovado a título experimental o recurso às imagens vídeo nas arbitragens dos jogos. O período experimental decorrerá durante os próximos dois anos, “o mais tardar na época 2017/2018”, para, segundo o comunicado do IFAB, “identificar as vantagens, desvantagens e os piores cenários”. Após o aval à tecnologia de linha de golo, em 2012, o ‘guardião’ das leis do futebol voltou a abrir as portas a outras tecnologias para auxílio do trabalho dos árbitros. Fonte: Agência Lusa

Etiquetas: