Os alvos do Sevilha; Warriors esmagam; Herrera marca na vitória do México

Que jogadores devem contratar os andaluzes? O objectivo na próxima época passa, sobretudo, por aumentar o nível na Liga (não fazem top-4 desde 2009/2010).

Dissipadas as dúvidas em relação à continuidade de Monchi como director-desportivo, o Sevilha está já a trabalhar na configuração do plantel da próxima época. Ora, o conjunto orientado por Unai Emery tem já vários alvos definidos para este Verão: começando pela defesa, o central do Marselha Nicolas N'Kolou, que termina contrato no fim deste mês, é uma das prioridades, sendo que também da Ligue 1 pode chegar o avançado Ben Yedder, que abandonaria o Toulouse por cerca de 10 ME. Desde Itália chegam notícias que dão conta do interesse no jovem de 21 da Lázio Keita Balde, estando também o Sevilha atento ao brasileiro Rodrigo Caio, central do São Paulo. Finalmente, Feghouli está em final de contrato com o Valência e poderia ser uma espécie de "reforço bomba" para Emery, estando também nesta lista Dennis Praet, médio do Anderlecht.

Reyes, Layún, Corona e Herrera foram titulares nos Aztecas (Maxi jogou de início nos Charruas), Jímenez só entrou perto do fim - No melhor jogo da Copa América até agora, o México bateu o Uruguai, por 3-1 e assumiu a liderança do grupo C. Logo aos 4', Guardado cruza muito bem e Alvaro Pereira, perante a chegada de Herrera, introduz a bola na própria baliza. Os mexicanos entraram melhor no jogo, dominando os acontecimentos, mas aos poucos os uruguaios foram melhorando, tendo mesmo Cavani disposto de uma soberana chance para marcar, mas isolado não foi capaz de bater Talavera. O final do 1.º tempo ficou ainda marcado pela expulsão de Vecino. Na 2.ª parte foi a vez de Guardado ser expulso, o que deixou as duas equipas com 10, e no minuto a seguir Godín, de cabeça fez o empate, no entanto, a vitória não fugiu ao México, com Rafa Marquéz e o portista Herrera a garantirem os 3 pontos. No outro jogo do grupo C, a Venezuela venceu a Jamaica por 1-0. Num encontro em que os Reggae Boyz jogaram com um menos desde os 23' (expulsão de Austin) mas ainda assim enviaram duas bolas aos postes, o golo da Vinotinto foi apontado aos 12' por Martinez, a passe do excelente Guerra.

Draymond Green (com a oposição de Love, Thompson e até LeBron quando os Cavs utilizam o small ball faz o que quer) esteve intratável; Thompson melhorou em relação ao jogo 1; E nem foi preciso um super-Curry (que ficou cedo limitado por faltas) para esmagar; Cavs perderam o 7.º jogo consecutivo frente ao rival - Vitória expressiva dos Warriors frente aos Cavaliers, por 110-77, no jogo 2 da final da NBA, que permite aos campeões irem a Cleveland com uma vantagem de 2-0. O encontro até começou equilibrado, sendo que os anfitriões levaram mesmo a melhor no 1.º período (21-19), mas a partir do 2.º deixou de ter história. Green e Thompson dedo deram a volta ao marcador, Curry também começou a fazer a diferença e do nada Golden State já vencia por 11, e nem a reacção dos Cavs, que levou o jogo para o intervalo a 52-44, foi suficiente, já que no 3.º período os Warriors, quase sempre sem Curry, que chegou cedo à 4.ª falta, ampliaram ainda mais o marcador, o que fez com que as principais estrelas nem entrassem no 4.º período, a excepção foi mesmo Curry, que tinha descansado devido às faltas. Green foi a grande figura do jogo, com 28 pontos, 5 assistências, 7 ressaltos e uma presença a nível defensivo que intimidou LeBron; Thompson colaborou com 17 pontos, Curry (que só jogou 24 minutos), com 18; sendo que do banco, além de Iguolada, Barbosa voltou a dar uma boa ajuda, com 10 pontos. Nos Cavs, LeBron marcou 19 pontos, fez 9 assistências e ganhou 9 ressaltos, mas teve sempre pouca ajuda. Irving só marcou 10, Love, que saiu depois de ter levado uma pancada na cabeça de Barnes, apenas 5.

Etiquetas: , ,