O melhor XI sub-21 na Europa em 2015-16

O futebol está em renovação constante e todas as épocas vão surgindo craques que prometem deixar marca. No presente e no futuro. Apesar da tenra idade, muitos jovens conseguem ter uma preponderância assinalável em grandes equipas do futebol mundial, mostrando que o talento não se mede pelos anos de vida. O Visão de Mercado indica o melhor 11 sub-21 do ano, sendo que só considerámos jogadores que começaram a temporada com idade sub-21. 

GR: Donnarumma (AC Milan) - É um prodígio e só algo de muito estranho o impedirá de ser uma das referências da posição durante muitos anos. Com apenas 16 anos, conquistou o lugar num dos emblemas mais prestigiados do futebol mundial ao experiente Diego López e não mais largou a titularidade, tendo uma contribuição directa na conquista de muitos pontos. Impressionou pela maturidade e pela presença imponente entre os postes. 
DD: Bellerin (Arsenal) - Dizer que é um dos melhores jovens nesta posição é pouco. O espanhol é já um dos melhores laterais-direitos do mundo, sobretudo por aquilo que oferece ofensivamente. Tem técnica, velocidade e define com qualidade, tendo tido um papel muito importante na dinâmica do Arsenal. Beneficiou da lesão de Carvajal para ganhar um lugar na comitiva espanhola presente no Euro 2016.
DC: Jonathan Tah (Bayer Leverkusen) - O "novo Boateng" cresceu a olhos vistos nesta temporada, assumindo-se como um dos pilares defensivos da equipa alemã. Tem de facto um estilo de jogo com semelhanças ao do central do Bayern, caracterizando-se pela boa leitura de jogo, agressividade, capacidade de antecipação e poder no jogo aéreo. Ganhou o bilhete para o Euro graças à lesão de Rudiger. 
DC: Giménez (Atlético) - A escola uruguaia continua a produzir centrais de enormíssima qualidade e olhar para o eixo defensivo dos colchoneros é a melhor maneira de o atestar. Ao lado de Godin, Giménez teve mais um ano bastante positivo, preparando-se para ser o sucessor do compatriota. Pela liderança, capacidade de se impor nos duelos e qualidade nas dobras, para além da força no jogo aéreo, parece ter condições para o conseguir. 
DE: Jordan Lukaku (Oostende) - Não é o mais famoso da família Lukaku, mas também tem uma qualidade muito acima da média. Sem espaço no Anderlecht, afirmou-se ao serviço do Oostende, onde foi uma das principais figuras, e conquistou um lugar na convocatória de Wilmots para o Euro'2016. Se a ideia for jogar com um lateral mais rotinado, Lukaku terá certamente garantida a presença no 11. É um jogador de pendor ofensivo, que oferece bastante profundidade e que tem técnica e velocidade para criar desequilíbrios. 
MDEF - Julian Weigl (Dortmund) - Tuchel bem sabia o que estava a comprar. Na primeira época em Dortmund, nasceu um diamante que tem tudo para ser um dos melhores médios defensivos do mundo nos próximos anos. Um jogador "à la Busquets", extremamente cerebral e sempre à procura de espaços para receber, enquadrar e decidir bem em pouco tempo.
MC - Dahoud (B.Gladbach) - Ainda na Bundesliga, uma das principais surpresas da temporada foi a afirmação do alemão de origem síria. E que qualidade que demonstrou. Com um futebol refinado, Dahoud é um jogador tecnicista, extremamente elegante e com uma inteligência fora do comum, destacando-se pelo critério que imprime no jogo. Além disso, chega muito bem a zonas próximas da área e é muito forte no último passe.
MO - Dele Alli (Tottenham) - O melhor jovem na Europa em 2015-16.
ED - Saul (Atlético) - O golo antológico que marcou frente ao Bayern foi o momento alto da temporada, mas o nível médio apresentado pelo espanhol foi excelente. A forma como se afirmou fez lembrar o Koke de 2014, muito influente na caminhada europeia da equipa. Saul é mais um jogador desenvolvido por Simeone, tendo juntado um grande conhecimento táctico ao lote de recursos técnicos que possuía. 
EE - Martial (Man United) - Havia dúvidas sobre se o francês teria capacidade de justificar o investimento avultado feito pelo clube, mas a primeira época deixou água na boca para o que aí vem. O avançado foi um dos melhores da temporada dos Red Devils, sendo provavelmente o maior desequilibrador da equipa, sempre perigoso nas diagonais para o centro, e conseguindo bons números.
PL - Vincent Janssen (AZ) - O melhor marcador do campeonato holandês já é apontado como o sucessor de Van Nistelrooy ou Van Persie e não deve tardar a dar o salto para outros palcos. Foi uma das principais figuras da liga, conquistou um lugar na selecção e, pelas suas características (inteligente nas movimentações, com excelente sentido de baliza e facilidade de remate), tem condições para vingar ao mais alto nível. 

Etiquetas: