Golo no final atenua erro do quarentão

Islândia 1-1 Hungria (Sigurdsson 40' g.p.; Saevarsson 88' a.g.)

A Hungria, com um golo já perto dos 90, conseguiu empatar frente à Islândia, resultado que praticamente garante a passagem para os oitavos-de-final e que ao mesmo tempo permite a Portugal só depender de si para chegar ao 1.º lugar. Num duelo em que o conjunto húngaro dominou mas a Islândia dispôs de mais ocasiões claras (a organização defensiva islandesa voltou a ser muito forte), um erro do quarentão Király (o jogador mais velho a actuar num Europeu) permitiu desbloquear o marcador a favor dos nórdicos, mas já perto do fim (está a ser o Euro dos golos no final) os magiares conseguiram alcançar 1 ponto que pode ser decisivo.

No que respeito ao encontro, a primeira parte teve equilíbrio, com a Hungria a dominar territorialmente e a ter mais bola (sempre com Nagy a construir desde trás), enquanto que a Islândia assumia uma postura mais expectante. Foram os nórdicos os primeiros a criar perigo, na sequência de um lançamento lateral (uma das estratégias já vistas no jogo frente a Portugal), tendo depois Gudmunsson tido uma oportunidade de ouro para inaugurar o marcador, mas perdeu no frente-a-frente com Kiraly, que defendeu com os pés. Do lado húngaro foi Dzsudzsák o jogador que esteve mais perto de marcar, mas o seu remato saiu o lado. Até que já perto do intervalo Kiraly cometeu penalti (largou uma bola e depois, sem intenção, derrubou um jogador islandês), com Sigurdsson a não perdoar dar marca dos 11 metros e a levar os nórdicos em vantagem para o intervalo. A segunda parte trouxe mais do mesmo, com a Hungria a ter mais posse, mas sem conseguir furar a muralha islandesa. Os minutos iam passando e a formação magiar não conseguia criar oportunidades para marcar, até que no minuto 87 conseguiram mesmo empatar, depois de uma boa jogada de envolvimento pela direita e com Nikolics a cruzar e Saeversson a fazer auto-golo. No último lance do encontro, Sigurdsson dispôs um livre muito perigoso, mas acertou na barreira e na recarga Gudjohnsen rematou contra um jogador húngaro, com o resultado a manter-se

Islândia - O tesouro fugiu no fim. Uma exibição onde a excelente organização defensiva voltou a sobressair, com a equipa a conceder muito poucas ocasiões de golo ao adversário, mas num dos poucos lances de descompensação, já mesmo no fim, acabou por surgir o golo. Ainda assim, 2 empates em 2 jogos são positivos, garantindo que a equipa fica a sonhar com o apuramento até ao fim (uma vitória frente à Áustria garantirá os oitavos, sendo que mesmo um empate não descarta a passagem). Individualmente, os centrais foram um muro, no meio-campo Sigurdsson foi muito solidário sem bola e acrescentou muita qualidade com ela, tendo também sido importante o papel de Bjarnason no meio-campo.

Hungria - Um ponto que vale ouro, já que coloca a equipa com pé e meio nos oitavos. A formação húngara dominou o jogo, mas teve muitas dificuldades para criar perigo, acabando por ter uma pontinha de sorte mesmo no final (o caudal ofensivo também já o merecia). No plano individual, destaque para Kiraly. que errou no lance da grande penalidade (quis agarrar quando se pedia que socasse) e isso acabou por ser decisivo ao passo que no meio-campo Nagy voltou a brilhar, assumindo a batuta da equipa como referência na circulação.

Etiquetas: , ,