Erro de Berisha decide duelo fratricida; Suíça sentiu dificuldades; Expulsão de Cana limitou as esperanças de Albânia; Sommer e Hysaj destacaram-se

Albânia 0-1 Suíça (Schar 5')

Histórico. O Albânia-Suíça, que terminou com um 1-0 favorável aos helvéticos, não foi um simples jogo. O que a política separou, o futebol reuniu. Frente a frente estavam dois irmãos, algo que nunca tinha acontecido num Euro, e muitos jogadores com um passado dividido entre os dois países. Há sete albaneses que representaram a Suíça nas camadas jovens, mas hoje estiveram com a alma posta na defesa das cores rubronegras. Granit Xhaka levou a melhor sobre Taulant Xhaka, num duelo fratricida como nunca se tinha visto. Apesar da derrota, a Albânia teve uma estreia muito digna e, mesmo reduzida a 10 elementos desde os 38 minutos, fez a Suíça sofrer até ao fim e não fosse a ineficácia de Sadiku e Gashi (ou a destreza de Sommer) e teria havido uma enorme surpresa. 

A Suíça entrou forte e chegou cedo ao golo, com Schär a aproveitar uma má saída de Berisha na sequência de um canto. Mas desengane-se quem pense que a vantagem madrugadora trouxe facilidades aos helvéticos. Os albaneses tiveram uma boa reacção e equilibraram a partida, embora com algumas dificuldades na ligação entre sectores. Foi através de um passe a rasgar de Hysaj para Sadiku que surgiu a melhor oportunidade das Águias, mas o avançado viu Sommer negar-lhe o golo. Pouco depois, Cana cortou a bola com o braço e viu o segundo amarelo. Um momento que alterou a história do jogo, não tanto como poderia se Dzemaili tivesse tido mais sorte no livre que resultou da expulsão (a bola bateu no poste). Na segunda parte, a Albânia deu uma excelente réplica com 10 e conseguiu ter mais posse do que no primeiro tempo. Com alguma falta de criatividade ofensiva, a equipa tentou lançamentos longos para o ataque, a maior parte sem sucesso. A Suíça ia combinando bem no ataque, mas sem a eficácia desejada. Seferovic desperdiçou várias oportunidades claras e o desperdício quase saiu caro. Gashi, já perto do final, isolou-se e atirou para a defesa de Sommer quando tinha tudo para empatar o jogo.

Albânia - Só se pode queixar de si própria por não ter alcançado outro resultado. A este nível, Sadiku e Gashi não podem desperdiçar oportunidades flagrantes como aquelas. Apesar da derrota, os albaneses conseguiram criar muitas dificuldades à Suíça e demonstraram que têm os seus argumentos. Existem obviamente limitações ao nível da criatividade e qualidade na definição, mas o conjunto de Di Biasi tem processos colectivos bem definidos e com a combatividade que imprime nos jogos pode surpreender. Hoje, houve dois momentos de infelicidade que valeram a derrota: a má saída de Berisha, que depois se redimiu com várias defesas de bom nível, e a expulsão de Cana, o mais experiente da equipa. Hysaj impressionou pela excelente capacidade de decisão, provando que é de facto um dos elementos acima da média nesta Albânia. Saíram dos seus pés os melhores lances ofensivos. Lenjani também deu nas vistas sobre a esquerda, oferecendo alguma velocidade e imprevisibilidade.

Suíça - Teve de ser Sommer a salvar e a compensar a falta de velocidade dos centrais para acompanhar os avançados albaneses, mas, apesar das dificuldades, foi um jogo razoável da equipa de Petkovic. Faltou maior qualidade na gestão da vantagem, também outra eficácia que permitisse alargá-la, mas os suíços tiveram excelentes momentos ofensivos. A dupla Behrami-Xhaka complementa-se extremamente bem (Behrami mais na recuperação, Xhaka no passe) e tem um papel fundamental na equipa, não só na ligação com os elementos do ataque mas também pelo equilíbrio que garantem, dando liberdade aos laterais. Rodríguez, sem estar brilhante, esteve muito activo e com a habitual qualidade e Lichsteiner, embora não tão participativo, subiu sempre para desequilibrar. Quem também desequilibrou foi Dzemaili, forte no último passe e a aparecer bem para finalizar. Já Shaqiri parece longe do seu melhor e com um jogo muito previsível. Destaque também para a boa entrada de Embolo, que pode ganhar o lugar para os próximos jogos, até porque Seferovic não dá garantias. 

Etiquetas: ,