«É prioritário ter mais um central e um ponta-de-lança»; Pinto da Costa confirma regresso de Maicon e nega Marcelo, Gustavo Gómez, Rafa e saídas de Brahimi e Herrera abaixo da cláusula

Quem serão os alvos dos portistas? A opção pelo reforço do centro da defesa é óbvia, aliás, esse sector, em relação ao final da temporada, sofrerá uma revolução (Felipe já chegou, Maicon vai regressar e ainda falta contratar mais um jogador), já o desejo de contratar um ponta-de-lança, caso Aboubakar não abandone a Invicta, pode condicionar a continuidade da aposta em André Silva (uma das poucas boas notícias do final de época dos dragões). 

Pinto da Costa concedeu uma entrevista ao Jornal de Notícias, na qual abordou vários temas da actualidade do FC Porto, nomeadamente no que toca à constituição do plantel. Assim, o histórico presidente começou por afirmar que, tendo em vista a próxima época, "é prioritário ter mais um central e um ponta-de-lança", negando, no entanto, nomes que estão a ser associados ao clube, como Marcelo ("é um nome apontado por um jornal, nesse totoloto que costumam fazer para ver se advinham") ou Gustavo Gómez ("não falei com ninguém, nem ninguém me sugeriu ou falou dele"). Ainda no capítulo dos centrais, Pinto da Costa disse que as notícias que davam conta que emissários do São Paulo haviam estado em Portugal para negociar Maicon são "mais outro romance. Contamos com o Maicon. Se não for a 28 de Junho, porque o empréstimo é ate 30 de Junho, tem de se apresentar a 1 de Julho. O treinador que dirá quais são as suas pretensões. Uma coisa é certa: por empréstimo, não sairá. E se o treinador não o quiser, também não". Noutro âmbito, o presidente dos dragões admitiu que houve uma reunião com o Sporting de Braga na qual se falou de Rafa com António Salvador e o empresário do jogador, "mas foi inconclusiva. Neste momento, não há qualquer negociação. Não é um jogador com que estejamos a contar", esclareceu, antes de afirmar que, no que toca às possíveis saídas de Herrera ou Brahimi, "se houver quem bata as cláusulas de rescisão, e os jogadores quiserem ir, não os podemos impedir. Em relação a Brahimi, não houve propostas.", já no que toca a Herrera, "tenho lido e ouvido um romance muito engraçado que envolve o Nápoles. Pelo que tenho sabido através dos jornais, o Nápoles ofereceu 20 milhões e o FC Porto quis 25. Posso garantir que é tudo mentira e que o Herrera só sai pela cláusula de rescisão", concluiu Pinto da Costa. Recordamos que a cláusula de rescisão de Herrera é de 40 milhões e a de Brahimi 60 milhões.


Etiquetas: