Decidir bem ou não arriscar?

Portugal apresentou muitas dificuldades no momento com bola contra a Islândia, entre as quais a sair a jogar. Isto deveu-se essencialmente ao conservadorismo de Fernando Santos, que optou por não projetar os laterais ainda que o bloco islandês estivesse baixo e às poucas opções de passe dentro do bloco adversário que os centrais sempre estiveram (ou melhor, não estiveram). Isto aliado a um médio defensivo que com bola nunca foi capaz de fazer mais que passar para trás e para o lado. 

Quem esteve melhor nestas duas situações (curiosamente uma a seguir à outra)? Danilo, que recebeu e entregou no pé, ou Moutinho que tentou virar-se para dentro e acabou por escorregar e falhar o passe? É verdade que Danilo teve sucesso no que quis fazer enquanto que Moutinho não. Mas também é verdade que a decisão em voltar para trás não contribuiu em nada para o avanço da equipa no terreno e assim Portugal continuou com as 3 linhas da Islândia por ultrapassar.

Vejamos: se Danilo devolve a André Gomes como sugere na imagem, provavelmente daria em João Moutinho (assinalado com um circulo) e assim estaria ultrapassada a 1.ª linha de pressão da Islândia. Moutinho caminharia para ultrapassar a 2.ª linha e enquadrar com a linha defensiva. Danilo ao passar para trás não só não permitiu a equipa ultrapassar jogadores adversários como fez com que a construção da jogada voltasse à estaca zero e o movimento feito pelo nº 15 da Seleção se tornasse inútil.


No segundo caso, Moutinho (em condições muito menos favoráveis que Danilo) percebe que tem possibilidade em drible (ao contrario de Danilo que tinha possibilidade em passe), de ultrapassar a 1.ª pressão dos nórdicos e por isso fá-lo, porque a sabia que a ser bem sucedido aproximaria a equipa da baliza adversária.

Este tipo de tomada de decisão de cada um foi uma constante durante o jogo.

Em termos estatísticos não sei quantos passes fizeram Danilo e Moutinho e quantos passes erraram cada um. Mas, neste tipo de situação sei que Moutinho esteve mais perto de falhar passes do que esteve Danilo. Mas, também esteve sempre mais perto de fazer a equipa avançar no campo e aproximar-se da baliza.

Visão do Leitor (perceba melhor como pode colaborar com o VM aqui!): Nuno Costa

Etiquetas: