'Manita' coloca Portugal nas meias-finais do Europeu sub-17; José Gomes fez um hattrick; Gedson e Mesaque também se destacaram

Portugal carimbou a passagem para as meias-finais do campeonato de Europa sub-17 e com estrondo, ao golear a Áustria por 5-0. Numa partida em muito semelhante às da fase de grupos, a selecção nacional voltou a entrar forte e disposta a resolver o jogo nos primeiros minutos, consubstanciando esse domínio  no inaugurar do marcador logo aos 7 minutos, depois de João Filipe cruzar e um defesa austríaco cortar com o braço. A grande penalidade ficou ao encargo de José Gomes que aproveitou para inaugurar o marcador e, mais tarde, dilatar para 2-0 depois de uma bela cabeçada na zona do penalty. Volvidos os primeiros 45 minutos, a equipa de Hélio Sousa não abrandou e aumentou para 3-0 depois de mais um lance à ponta de lança de Zé Gomes (outro tento de cabeça, agora numa bola parada), tendo chegado ao 4.º golo por Mesaque Dju após um trabalho fantástico de João Filipe no flanco esquerdo. A fechar as contas, e já com vários suplentes em campo, o último golo viria a ser apontado por Miguel Luís, aos 77', depois de um belo remate à entrada da área (como acontecera no jogo de inauguração). Na próxima fase a selecção nacional defrontará a Suécia (que venceu na ronda de elite de apuramento para esta competição) ou Holanda, equipas que se encontram amanhã em partida a contar para os quartos de final.

Portugal - Continua a ser uma competição de sonho. Melhor ataque da competição (12 golos marcados), melhor defesa (0 sofridos), melhor marcador (José Gomes já leva 6 jogos), para além de conseguir resolver os jogos precocemente, algo que tem permitido uma gestão dos jogadores mais importantes. O caminho da selecção nacional até as meias finais parece facilitado - é certo que o emparelhamento de Portugal foi feliz, fugindo ao quadro teoricamente mais difícil -, mas a atitude, qualidade de jogo e maturidade têm tornado tudo mais acessível, hoje frente a um adversário que até ao jogo da Alemanha (foi goleado, mas estava muito desfalcado, ao contrário do que aconteceu frente a Portugal) estava a ser uma das revelações. Na partida de hoje, destaque inevitável para José Gomes (3 golos, eficácia tremenda dentro de área e um jogo aéreo que o diferencia, apesar de não ser especialmente alto), João Filipe (quebra-cabeças autêntico e um dos mais criativos da competição, está em quase todos os golos da selecção nacional), Gedson Fernandes (disponibilidade física e técnica tremenda para o jogo, a exibir-se como médio de área a área, acrescentando vertigem) e os laterais Vinagre e Dalot que defensivamente não foram testados. A bom nível esteve também Mesaque (o jogo de hoje beneficiou as suas características, não sendo por acaso que a sua melhor ação surgiu num contra-ataque), ao contrário de Quina que, não estando mal, baixou um pouco de rendimento.

Etiquetas: