Paulo Pereira Cristóvão condenado, Sporting absolvido; Middlesbrough garante Viktor Fischer por 5 ME; Nadal abandona Roland Garros

O antigo vice-presidente presidente do Sporting Paulo Pereira Cristóvão foi condenado hoje a quatro anos e seis meses de prisão, com pena suspensa e com regime de prova, no âmbito do ‘caso Cardinal’. Paulo Pereira Cristóvão, que enfrenta mais dois processos judiciais, foi também condenado ao pagamento de uma indemnização de 40.000 euros, por danos não patrimoniais, ao antigo árbitro assistente de futebol José Cardinal. O antigo vice-presidente do Sporting foi ainda condenado ao pagamento de indemnizações de 500 euros a cada um dos 35 árbitros que se constituíram assistentes no processo, o que perfaz um total de 17.500 euros. O tribunal considerou como provados dois crimes de peculato, um de acesso ilegítimo e um de denúncia caluniosa. O Sporting Clube de Portugal foi absolvido de qualquer envolvimento na tentativa de suborno ao antigo árbitro. O outro arguido no processo, Vítor Viegas, um colaborador próximo de Paulo Pereira Cristóvão, foi absolvido de todos os crimes que estava acusado. Fonte: Agência Lusa

Em 2013 era visto como uma das principais promessas do futebol mundial mas as lesões impediram (em 2014-15 só fez 4 jogos) que desse o salto que se esperava - O Middlesbrough, que está de regresso à Premier League, garantiu oficialmente a contratação de Viktor Fischer, do Ajax, a troco de 5 milhões de euros. O extremo/avançado, dinamarquês, de 21 anos, esta época marcou 12 golos em 45 jogos.

Ainda não é desta que consegue a 10.ª (também não seria fácil considerando a parte do quadro em que estava), mas não deixa de ser uma desistência surpreendente, depois de ter limpado as duas primeiras rondas com muita facilidade - Rafael Nadal abandonou a edição 2016 de Ronald Garros devido a uma lesão no pulso. “É um problema que tinha quando cheguei e que se agravou”, revelou o tenista, quinto do ‘ranking’ mundial, em conferência de imprensa e antes de defrontar o seu compatriota Marcel Granollers. O espanhol, n.º 5 do Ranking, que nas últimas semanas tinha aumentado o nível, disse ainda que não tem uma fratura no pulso mas que, se continuasse a jogar, iria sofrê-la numa questão de dias: «É uma situação má, mas é a vida. Se não fosse Roland Garros provavelmente nem teria assumido o risco de jogar um par de dias».

Etiquetas: ,