John Terry no Chelsea até 2017; Atlético segura Saúl Ñiguez; Dois ex-Sporting na convocatória do Chile para a Copa América; Ulissi bisa no Giro

Um dos volte-faces da época. Mas fica a ideia que os Blues perceberam que o mercado ao nível dos centrais está complicado, e que não vai ser fácil aumentar a qualidade nesse sector com a contratação de 2 elementos acima da média.

John Terry renovou pelo Chelsea até 2017. O central, de 35 anos, terminava contrato em junho e em janeiro chegou a anunciar a sua saída, mas vai permanecer no seu clube de sempre por mais uma época. Terry, que está nos Blues desde os 14 anos, conquistou quatro títulos de campeão, cinco Taças de Inglaterra, três Taças da Liga, uma Liga Europa e uma Liga dos Campeões.

Há pouco tempo o Football Leaks revelou que o médio tinha uma cláusula de "apenas" 45 ME, e em Espanha especulam que a mesma terá agora subido para os 80 - Saúl Ñiguez renovou com o Atlético de Madrid até 2021. O médio, que viveu este ano a afirmação definitiva nos colchoneros (participou em 47 jogos e marcou 9 golos), tinha contrato até 2020, mas os rumores do forte interesse de clubes como o Barcelona ou o Manchester United obrigaram a direcção do clube a agir. Saúl está no Atlético desde os 13 anos.

Dá para revalidar o título? - O Chile, agora comandado pelo ex-Porto, Juan Antonio Pizzi, anunciou a lista de convocados para a Copa América que vai decorrer nos Estados Unidos entre 3 e 26 de junho. A presença de Charles Aranguiz, que esta época, devido a uma lesão, pouco jogou (só começou a competir em Abril), é a principal novidade. Bravo, Vidal, Alexis Sanchéz e os ex-Sporting Matias Fernandez e Maurício Pinilla também integram a convocatória. Lista de convocados: Guarda-redes: Claudio Bravo (Barcelona), Johnny Herrera (Universidad de Chile), Cristopher Toselli (Universidad Catolica); Defesas: Mauricio Isla (Marselha), Jose Pedro Fuenzalida (Universidad Catolica), Gonzalo Jara (Universidad de Chile), Enzo Roco (Espanhol), Gary Medel (Inter de Milão), Eugenio Mena (São Paulo); Médios: Jean Beausejour (Colo Colo), Marcelo Diaz (Celta Vigo), Francisco Silva (Chiapas), Erick Pulgar (Bologna), Arturo Vidal (Bayern), Matias Fernandez (Fiorentina), Charles Aranguiz (Leverkusen), Pablo Hernandez (Celta Vigo), Edson Puch (LDU Quito); Avançados: Nicolas Castillo (Universidad Catolica), Fabian Orellana (Celta Vigo), Mauricio Pinilla (Atalanta), Alexis Sanchez (Arsenal), Eduardo Vargas (Hoffenheim).

Dumoulin, que chegou a liderar a prova, mas nos últimos dias fraquejou, desistiu; Pozzovivo, Fuglsang e Brambilla ficaram envolvidos numa queda e perderam tempo para os favoritos; Jungels em grande - Diego Ulissi bisou no Giro ao vencer a etapa 11. O ciclista da Lampre bateu Amador e Jungels ao sprint depois de um final espectacular. Na última descida Nibali atacou com Chaves e Valverde, mas o trio foi apanhado pelo grupo e a Movistar, que era a equipa mais representada, lançou Amador, tendo Jungels respondido. Os favoritos ficaram a marcar-se dando espaço ao duo, que só foi alcançado, já perto da meta por Ulissi, que depois os bateu ao sprint. Na geral Jungels (que segurou bem a liderança e até aumentou a vantagem para quase todos) continua de rosa, Amador é segundo, mas elementos como Kruijswijk, Valverde, Chaves e Nibali perderam 13 segundos. 

Etiquetas: , , ,