'Manita' do Sporting pressiona o Benfica; Gelson e Ruiz bisaram; Semedo e Bruno César também se destacaram; Vit. Setúbal nem incomodou Patrício

Sporting 5-0 Vit. Setúbal (Gelson 25' e 55'; Teo 36', Ruiz 71' e 90'+2)

O Sporting cumpriu frente ao Vit. Setúbal, com uma goleada que permite assumir a liderança à condição e pressionar o Benfica. Um resultado que até podia ser mais expressivo não fosse o desperdício leonino e a boa exibição de Ricardo. Gelson Martins atenuou da melhor maneira a ausência de João Mário, ao bisar (o 1.º foi um golaço); Teo (10.º golo no campeonato) e Ruiz (2 golos na sequências de lances de bola parada) também juntaram o nome aos marcadores, num jogo em que Adrien viu um amarelo que o tira da última jornada frente ao Sp. Braga; Já o conjunto de Quim Machado, que nem conseguiu incomodar Patrício, continua sem garantir a permanência, tendo somado o 14.º jogo consecutivo sem vencer.

Quanto ao encontro, o Sporting entrou com tudo, com Bruno César e Slimani a testarem logo Ricardo nos primeiros minutos. Aos 15 minutos Adrien viu um amarelo que o tira do último jogo da Liga, frente ao Braga. Pouco depois Slimani voltou a testar Ricardo, mas o guardião do Setúbal respondeu com uma grande defesa. Só dava Sporting, mas Coates viu Ruca tirar-lhe um golo em cima da linha e a seguir Teo rematou contra a defensiva sadina quando estava em boa posição. Mas cheirava a golo e o 1-0 não tardou. Slimani dá para Ruiz e o costa-riquenho isola Gelson, que pica, com classe, a bola por cima de Ricardo e inaugura o marcador. O clube leonino continuava por cima e numa transição chegou ao 2-0, por intermédio de Teo, que isolado de William finalizou com um remate colocado. Até final da primeira parte ainda podia ter surgido o 3-0, mas Slimani, no cara-a-cara com Ricardo, permitiu a defesa ao guardião. No segundo tempo, manteve-se o registo, só dando Sporting. Aos 51’, Teo podia ter feito o terceiro depois de ter sido isolado por Bruno César, mas acabou por se atrapalhar e rematar contra um defesa. Não marcou o colombiano, mas Gelson não desperdiçou logo a seguir. Belo trabalho de Adrien no corredor central e o luso-francês serve o extremo para o seu segundo da noite. O jogo entrou numa fase de menor fulgor, mas com a expulsão de Vasco Costa o Sporting aproveitou para aumentar o marcador. Bruno César centra para o interior da grande área, com Ruiz a marcar um golaço sem deixar a bola cair. Jesus retirou Slimani, Gelson e Bruno César e lançou Zeegelaar, Barcos e Mané e seriam estes dois últimos a criar o seguinte lance de perigo, no entanto, o argentino atirou para boa defesa de Ricardo. Sendo que até final, ainda houve tempo para o 5-0, com Ruiz a marcar na cobrança de um livre direto.

Sporting - Aconteça o que acontecer no jogo dos encarnados, a decisão do título ficará adiada, em face da vitória dos leões, para a última jornada do campeonato. Depois da goleada no Bonfim, o Sporting voltou a humilhar o Setúbal, desta feita em Alvalade, com 5 golos sem resposta, mas acima de tudo com uma exibição que não deu azo a dúvidas. Sem João Mário nos convocados, Gelson foi lançado no seu lugar e a resposta não podia ter sido melhor. O extremo apontou dois golos, agitou com o jogo e criou vários desequilíbrios com a sua irreverência e velocidade. Numa noite em que os avançados adversários foram completamente engolidos, destaque óbvio para a organização defensiva dos leões e para a sua capacidade para evitar transições, em muito devida à agressividade e velocidade da dupla de centrais: Semedo somou uma grande exibição, evidenciando-se a grande nível na antecipação e 1.º fase de construção. A nível individual, destaque, também, para Bruno César (muito forte ofensivamente, somando passes para golo, para além de alguns cruzamentos bem direccionados), por posição a Teo (marcou, mas não teve um jogo feliz). Isto numa noite em que poderá ter sido palco da despedida de alguns jogadores, principalmente Slimani, que voltou a ser substituído cedo, perante os seus adeptos.

Vit. Setúbal - Quinta derrota consecutiva para o campeonato, resultado que obriga os Sadinos a conquistar pontos na última jornada sob pena de se expor àquilo que o Tondela poderá fazer. Quanto ao jogo de Alvalade, imagem muito pobre do conjunto de Quim Machado, algo que já vem sido hábito nesta fase da temporada e só um arranque de época muito acima do real valor da equipa permitiu chegar a este momento numa posição acima da linha de água. A equipa foi uma das mais vulneráveis de toda a época na visita a Alvalade (praticamente não incomodou Patrício), tendo-se limitado ao seu meio campo, mostrando ainda uma incapacidade enorme para ter bola e sair rápido em transições. A nível individual, e como é habitual em equipas deste cariz, o destaque esteve na baliza com Ricardo a impedir um resultado ainda mais volumoso, numa exibição em que foi chamado várias vezes a intervir (ainda assim sofre o golo de Teo no "seu" poste). Para além deste, Arnold teve algumas boas saídas para o ataque, mas a ausência de elementos como André Claro ou Fábio Pacheco não ajudaram a remar contra a maré.

Etiquetas: ,