Juventus garante Matheus Pereira; Carrillo fora da Copa América; Heat empatam; Brambilla é o novo líder do Giro

A Vecchia Signora, mesmo tendo muitos jogadores sob contrato que não vai aproveitar, é uma das equipas que melhor prepara o futuro e garante um médio cheio de potencial para vir a integrar o plantel. Para já, o empréstimo será certamente benéfico para o crescimento de Matheus, um médio ofensivo esquerdino muito habilidoso que se destacou na Copinha (na final tentou um penalty à Panenka e falhou, tendo recebido muitas críticas). 

Matheus Pereira tem quase tudo acertado com a Juventus para ser reforço do clube italiano. O médio de 18 anos do Corinthians (que tem apenas 5% dos direitos económicos do jovem) vai custar 2,5 milhões à Vecchia Signora, mas deverá estrear-se no futebol europeu ao serviço do Empoli, onde irá actuar por empréstimo.

O seleccionador já tinha avisado Carrillo, mas mesmo sem ter jogado poderia ser uma das principais armas do Peru - Como se esperava, Andre Carrillo não foi chamado para a Copa América por Ricardo Gareca. O jogador que se mudou do Sporting para o Benfica não faz parte da lista de 23 jogadores do seleccionador peruano, que tem em Paolo Guerrero a sua principal figura. Consagrados como Farfán, Vargas ou Pizarro, por sua vez, ficaram de fora.

Dumoulin vacilou e perdeu muito tempo para os favoritos, um dia antes de um CR que podia permitir que aumentasse a vantagem na geral - Gianluca Brambilla venceu a 8.ª etapa do Giro, assumindo também a camisola rosa. O italiano, que deu a 3.ª vitória à Etixx, atacou na fase mais complicada depois de ter integrado a fuga do dia e chegou isolado à meta. Uma etapa que se previa complicada, pelo sector de sterato, e que acabou por castigar o agora antigo líder da geral, Tom Dumoulin, que vacilou sempre que a estrada inclinou e não conseguiu acompanhar o grupo de Valverde, Landa, Nibali, Zakarin ou Chaves. O holandês passou tão mal que nem aos grupos de perseguidores se conseguiu juntar. Na geral Brambilla tem agora menos 23 segundos que Zakarin, menos 33 que Kruijswijk, menos 36 que Valverde e menos 45 que Nibali. Dumoulin saiu do Top 10.

Quem se fica a rir são os Cavs, que vão defrontar uma equipa com mais 6 jogos nas pernas - Os Miami Heat venceram, na Flórida, os Toronto Raptors, por 103-91, e levaram a decisão da Série para a negra. Os Heat fizeram o seu melhor jogo na série, e ao intervalo, já venciam por 9 pontos. Na segunda parte, limitaram-se a controlar a vantagem e jogar com o tempo. Spoelstra inovou ao jogar sem postes de início e com uma lineup muito baixa (Dragic, Wade, Johnson, Deng e Winslow), mas deu-se bem com a mobilidade do 5, e também pelo facto de Casey pouco ter utilizado Biyombo no ataque (apenas 4 pontos). Lowry (36 pontos) e DeRozan (23) estiveram ativos no ataque, mas não conseguiram envolver os colegas (juntos fizeram 5 assistências). Do lado da formação de Miami, que voltou a apresentar uma rotação a 8 (Richardson, Tyler Johnson e McRoberts foram os suplentes usados), Dragic anotou 30 pontos, Wade 22 (apenas 8 em 21 de lançamentos, mas mais 3 blocos), já McRoberts foi um importante trunfo vindo do banco, para oferecer presença interior.

Etiquetas: , , ,