Viciação de resultados na II Liga: Jogadores do Oriental e da Oliveirense e presidente do Leixões detidos

A II Liga terminou hoje dentro de campo mas fora dele ainda promete fazer muita tinta (veremos se esta investigação irá ter alguma implicação em relação às subidas e descidas). O campeonato há muito está associado a viciação de jogos, e neste final de época estava muita coisa em jogo.

Quatro jogadores do Oriental (André Almeida, Diego Tavares, João Pedro e Rafael Veloso) e quatro da Oliveirense, entre guarda-redes e defesas, estão entre os 15 presos da Unidade Nacional de Combate à Corrupção da Polícia Judiciária, esta tarde, logo após os jogos deste sábado da última jornada da II Liga, por viciação de resultados. Foram ainda detidos, mas enquanto corruptores ativos, o presidente e o diretor desportivo do Leixões - que compraram os serviços de atletas para que o seu clube saísse beneficiado em detrimento dos outros onde alinham os jogadores corrompidos.  Mas há mais corruptores ativos presos - como um dirigente dos Super Dragões, claque do FC Porto, conhecido por "Aranha", e antigos futebolistas e empresários. A operação da PJ chama-se 'Jogo Duplo' e decorreu em todo o País, na última jornada da Liga. A PJ está a investigar a circulação de milhares de euros em apostas, com suspeitas de que jogadores terão recebido para influenciar resultados e, em alguns casos, para prejudicar as próprias equipas. Sendo que estes indivíduos são intermediários de empresários asiáticos que chegam ao nosso país com centenas de milhares de euros, em notas, para distribuir em luvas por atletas que em campo - através de falhanços - consigam prejudicar as suas equipas ao ponto de fabricar os resultados mais improváveis. Dessa maneira, os apostadores asiáticos que estejam por dentro do esquema já conhecem antecipadamente os resultados dos jogos e têm lucros garantidos com as apostas certas. As detenções dos jogadores do Oriental foram detidos no final da partida em casa do Atlético, em Lisboa; e os da Oliveirense logo após a receção ao Leixões.

Etiquetas: