Guardiola despede-se com vitória na Taça (Bayern só resolveu nos penalis); FC Porto derrota Benfica na Luz; Romário e Verdasca dão vitória a Portugal

Em 3 anos na Alemanha, o catalão conquista por 3 vezes o campeonato e por 2 vezes a taça, não dando margem para dúvidas de que dominou claramente no plano interno (faltou a conquista a Champions). Numa final em que os bávaros dominaram (mas falharam na finalização e, sobretudo, na definição), a equipa de Tuchel fica a chorar pelo desperdício de Aubameyang (falhou na cara de Neuer aos 85').

Pep Guardiola sai da Alemanha com mais um troféu. O Bayern Munique venceu a Taça da Alemanha, ao bater o Borussia Dortmund nas grandes penalidades por 4-3, depois de um 0-0 no tempo regulamentar e no prolongamento. Os bávaros juntam assim a taça ao campeonato, ao passo que a equipa de Tuchel fecha uma brilhante temporada sem um troféu. Quanto à partida, o Bayern teve sempre mais iniciativa, com o Dortmund bem fechado atrás (Tuchel actuou com 3 centrais) a tentar tapar os caminhos para a baliza de Burki. O primeiro a criar perigo foi Muller, primeiro num remate de longe e depois num cabeceamento que passou perto. Mas o jogo estava fechado e até final do primeiro tempo só Douglas (defesa de Burki) e Aubameyang (disparo desviado) rondaram o golo. Na segunda parte, foi a equipa de Tuchel a primeira a criar perigo (condução de Reus e tiro por cima de Auba), mas a partir daqui os bávaros intensificaram o domínio, com diversos lances de muito perigo, nos quais falhou não só a pontaria mas sobretudo a definição (muitas vezes havia bastante espaço mas os homens de Pep não tomaram a melhor decisão). Aos 85’, o Dortmund dispôs da melhor chance em todo o desafio, com Sokratis a sair a jogar muito bem, a soltar na direita em Piszczek que cruza muito bem para Aubameyang, mas o gabonês, na cara de Neuer, atirou por cima. No prolongamento, aos 102’, o Dortmund voltou a estar muito perto do golo, com Mkhitaryan a rematar cruzado muito perto da baliza (Aubameyang ficou perto de desviar). Até final, não houve mais oportunidades e nas grandes penalidades Neuer defendeu o remate de Bender e Sokratis também atirou para fora, dando o troféu ao Bayern.

No plano individual, destaque para Lahm, que continua a revelar uma super-inteligência em campo, com um nível de acerto e velocidade na decisão descomunal, ao passo que Vidal, que poderia ter sido expulso, fartou-se de roubar bolas e de tapar caminhos no plano defensivo. Já na frente, Lewandowski e Muller pecaram muitas vezes na decisão e execução. Do lado do Borussia, Hummels, que estava numa situação complicada (a jogar contra a futura equipa), deu uma boa resposta até sair lesionado, tal como Sokratis, que depois fica com o "senão" de ter falhado a grande penalidade. No meio-campo, Castro acrescentou qualidade em todos os momentos e Aubameyang ficará a lamentar-se por ter desperdiçado a melhor oportunidade da noite.

Águias venceram a fase regular mas nesta fase dá ideia que o conjunto de Moncho López está mais forte - O FC Porto foi à Luz roubar o primeiro jogo da final do Campeonato português de basquetebol, vencendo por 78-72, ganhando assim o factor casa. Os encarnados estiveram quase sempre na frente (ao intervalo já venciam por 15 e entraram nos últimos 10 minutos com uma vantagem de 8 pontos), mas um parcial de 29-15 no 4.º período foi decisivo para a vitória dos dragões. Troy DeVries, provavelmente o melhor jogador em Portugal, foi mais uma vez o MVP do jogo, com 30 pontos.

Edgar Borges alinhou com Costa, Verdasca, Baldé, Ribeiro (C) (Dias 76'), Horta (Fernandes 64’), Macedo (Silva 64’), Silva, Gomes (Pereira. H 40’), Gamboa, Wilson e Henrique - Portugal venceu a Guiné na segunda jornada do grupo B do Torneio de Toulon e conquistou os primeiros pontos na prova. A selecção nacional domoinou o jogo e sem surpresa chegou ao golo aos 12 minutos por Romário Balde, no segundo tempo, Diogo Verdasca sentenciou o resultado na sequência de um canto.

Etiquetas: , , ,