«Estou no Porto, não posso projetar-me»; Jorge Simão deixa Paços de Ferreira; Chaves vence no Giro, Kruijswijk é o novo líder, Valverde perdeu 3 minutos

Acabou o ciclo do argelino nos dragões? Parece claro que pretende sair, o problema é que, na teoria, perdeu valor de mercado e os azuis e brancos não se podem dar ao luxo de perder os elementos mais importantes.

Yacine Brahimi, em declarações à France Football, comentou o feito alcançado por Mahrez, compatriota do Leicester, que foi eleito o melhor jogador da Premier League, explicando que no FC Porto é difícil projetar-se. «Mahrez conseguiu uma proeza. Mas eu estou no FC Porto, não posso projetar-me», disse o internacional argelino, que não escondeu a vontade em rumar ao campeonato inglês. «É um campeonato excitante, intenso e muito mediatizado.» Sobre a temporada no FC Porto, a inconstância foi um dos fatores apontados por Brahimi para o insucesso. «Estamos dececionados por não termos sido campeões este ano. Fizemos excelentes jogos e depois fizemos jogos pouco conseguidos», disse, antes de apontar à final da Taça de Portugal. «Há cerca de um mês e meio que toda a gente nos fala disso. É preciso dar tudo.» 

Carlos Pinto e Abel Ferreira estão a ser apontados ao lugar - O Paços de Ferreira anunciou que Jorge Simão vai deixar o comando técnico da equipa no final da presente época. O ex-treinador do Belenenses, que esteve nos pacenses uma temporada, terminou a Liga no 7.º lugar, apesar das vitórias frente ao FC Porto e Braga e o empate em Alvalade.

Kruijswijk demonstrou que é candidato; Chaves também está forte; Nibali perdeu algum tempo mas ainda é o principal favorito; Já os Movistar fraquejaram - Esteban Chaves, da Orica-GreenEDGE, venceu a etapa 14 do Giro, batendo ao sprint Steven Kruijswijk, o novo camisola rosa. Na 1.ª jornada "a sério" na Volta a Itália, Nibali mexeu com a corrida na última subida o que deixou Valverde, Amador e Pozzovivo para trás (Zakarin, Uran e Majka ficaram numa posição intermédia), no entanto o italiano teve resposta de Kruijswijk e Chaves, não tendo depois conseguido seguir o duo. A dupla não só se destacou do Tubarão como ultrapassou os intervenientes da fuga do dia (principalmente Atapuma, Preidler e Siutsou), que chegaram a ter uma margem muito confortável. Na geral Kruijswijk tem agora menos 41 segundos que Nibali (que hoje perdeu 37 segundos), Chaves é 3.º a 1'32'', Valverde já está a 3'06", Amador a 3'15", Majka a 3'29" e Zakarin a 3'53". A restante concorrência está a mais de 5 minutos.

Etiquetas: , ,