Adrien foi o melhor jogador da época no Sporting; Jonas venceu no Benfica; Danilo foi o MVP do FC Porto; Rafa o n.º 1 em Braga

Em Portugal está pouco desenvolvida esta cultura de nomear os melhores dentro dos próprios clubes, algo que por exemplo em Inglaterra é feito regularmente (a cada mês e a cada final de época) não só por adeptos mas também pela imprensa ou até pelos próprios integrantes de cada equipa (jogadores e staff). Assim, o VM decidiu quebrar esta barreira e pediu a vários colaboradores que elegessem qual foi o melhor jogador da época em cada um dos 18 participantes da I Liga portuguesa.


Terminada a época, é tempo de fazer mil e um balanços, quer colectivos quer individuais. Ora, associado ao desporto está sempre a busca por ser o melhor, não só "fora de portas" mas também dentro dos elencos de que cada atleta faz parte. Neste sentido, os colaboradores do  Visão de Mercado nomearem os jogadores que mais se destacaram em cada equipa da I Liga, e se há casos de unanimidade, outros houve em que a decisão esteve longe de ser consensual. No campeão Benfica, o artilheiro do campeonato, Jonas, recolheu o voto de 6 dos 7 participantes, fazendo jus ao estatuto de homem da época no nosso país. Já no rival Sporting a discussão foi bem mais apertada, com uma dispersão de votos entre Adrien (3) Slimani (2) e João Mário (2), acabando por vencer o capitão. Entre os grandes, aquele que pior época fez foi o FC Porto, mas ainda assim é unânime para o painel que Danilo manteve um nível exibicional bem acima dos colegas, unanimidade essa que também exista no Sporting de Braga, emergindo Rafa como natural figura da bela época dos Gverreiros. Na equipa sensação do campeonato, o Arouca, a decisão foi bastante renhida, tendo o guardião Bracali recolhido 4 votos e vencido esta distinção à frente de Hugo Basto com 2 e Lucas Lima com 1. Nas formações imediatamente abaixo da de Lito regressa o consenso em relação às figuras, com Wakaso no Rio Ave, Jota no Paços e Bonatini no Estoril a "não darem hipóteses" aos companheiros. Já numa zona longe da luta pela Europa encontramos o Belenenses, no qual Carlos Martins reuniu a preferência da maior parte dos votantes, à frente de Miguel Rosa, Filipe Ferreira e Sturgeon. No Vitória de Guimarães, Dourado e Cafú conseguiram 2 votos cada, mas ficaram atrás de Otávio (com 3), devendo esta boa época valer ao brasileiro o regresso ao FC Porto. Quem também aproveitou a campanha para regressar à órbita da casa-mãe foi Iuri Medeiros, sem dúvidas o melhor jogador no Moreirense, distinção que no Marítimo é recebida por Fransérgio (com 4 votos, tendo também sido escolhidos Salin, Dyego Sousa e Éder Bessa). No Boavista, a regularidade exibicional de Paulo Vinícius foi distinguida, ainda que haja também que fazer referência ao contributo de Rubén Ribeiro a partir da Janeiro, ao passo que no Vitória de Setúbal os golos de André Claro foram chave para a permanência e fizeram-no obter 5 dos 7 votos, apesar de ter havido quem considerasse que a meia-época de Suk valeu-lhe para ser o jogador do ano nos Sadinos. Para o milagre do Tondela muito contribuiu Nathan Júnior, sem dúvidas o atleta do ano no clube, enquanto que entre os despromovidos Amilton recebe o galardão no União da Madeira e Leandro na Académica.

Etiquetas: