Sporting continua na perseguição; William e Teo confirmam bom momento

Sporting 3-1 Marítimo (Teo 41', William 52' e Slimani 76'; Ghazaryan 81')

O Sporting cumpriu frente ao Marítimo, mantendo assim a diferença para o Benfica. O encontro foi dividido na 1.ª parte (os insulares até tiveram mais remates) mas os leões conseguiram chegar à vantagem em cima do intervalo e depois foram superiores no 2.º tempo. Teo, que vai numa sequência de 5 golos nos últimos 3 jogos, voltou a fazer a diferença, ao desbloquear ao marcador; Mas foi outro retornado, William, a encher o campo e a demonstrar que está na melhor fase da época; Também Slimani facturou, quebrando assim um jejum de quase 3 meses sem marcar em Alvalade; Já o conjunto insular, a viver uma fase que já nada tem a perder, tentou surpreender mas não conseguiu derrubar Patrício no período em que teve maior ascendente.

Em relação ao encontro, o Marítimo conseguiu equilibrar o jogo no primeiro tempo, fazendo uso de Edgar Costa para desequilibrar no corredor direito, explorando as naturais debilidades de Bruno César. No entanto, foi Ruiz a desperdiçar a primeira ocasião de golo, cabeceando ao lado quando se encontrava em óptima posição. Do outro lado, Edgar Costa apareceu isolado nas costas do lateral, mas rematou sem nexo, enquanto que Bruno César disparou ao lado no lado oposto. Esperava-se o final da primeira parte sem alterações, mas, após um bom remate de Éber Bessa, que Patrício segurou sem problemas, Teo Gutiérrez disparou de fora da área aos 41 minutos e, beneficiando do desvio em João Diogo, inaugurou o marcador perante um desamparado Salin. Na segunda parte, o Sporting entrou melhor e ampliou nos primeiros minutos, com William, após uma jogada de insistência, a driblar um opositor e disparar forte, de pé esquerdo, para o fundo da baliza maritimista. Jesus lançava Zeegelaar para controlar melhor a ala direita insular e, aos 74', Slimani regressou aos golos em Alvalade, numa recarga a um remate de João Mário, que bateu em Maurício e ficou à disposição do argelino. Nelo Vingada tentava reagir, lançando Baba, Guevaro e Ghazaryan e o arménio reduziu o marcador pouco depois, numa fase de maior relaxamento dos leões. Os visitantes, fruto de algumas desconcentrações de Semedo e Zeegelaar, ainda ameaçaram o segundo, mas as melhores oportunidades surgiram do outro lado, por intermédio de Matheus Pereira. Jesus deu novamente minutos ao brasileiro, que esteve perto do golo por duas ocasiões, permitindo a defesa de Salin na primeira, quando se encontrava completamente isolado e perante a frustração de Slimani, e disparando ao lado do poste direito do guardião francês na segunda.

Sporting - Exibição suficiente mas mais irregular do que tem sido habitual. Os leões apresentaram qualidade de jogo num bom período de tempo mas também acumularam lapsos defensivos pouco habituais, sendo que mais uma vez desligaram depois de terem ganho uma margem no marcador. A nível individual, Patrício, principalmente na 1.ª parte, disse presente, somando várias intervenções de bom nível; já os Centrais estiveram bem no momento com bola mas nem sempre foram eficazes na abordagem defensiva; No meio campo, tal como no Restelo, houve muito William, que juntou ao golo uma excelente exibição, com várias recuperações de bola e a jogar cada vez mais subido no terreno, demonstrando que vai bem embalado para se destacar no Euro'2016; Já Aquilani, que substituiu o castigo Adrien, destacou-se no passe, apesar de não ter oferecido o mesmo no momento da reacção à perda de bola; Na frente Ruiz voltou a não ser tão influente como se pede, tendo acumulado mais um falhanço, melhor (principalmente na 2.ª parte, depois de um 1.º tempo pouo conseguido) esteve João Mário, com influência na melhor fase do Sporting na partida. Já os avançados Slimani e Teo tiveram prestações conseguidas, com principal destaque para o colombiano que esteve sempre muito em jogo, tendo tentado fazer a diferença várias vezes em situações individuais.

Marítimo - Os insulares conseguiram dividir o encontro no primeiro tempo, explorando muito bem as debilidades do flanco esquerdo leonino, mas o golo de Teo (numa fase em que o Marítimo estava por cima) e uma má entrada no segundo tempo acabaram por ditar mais uma derrota no campeonato. Numa semana complicada para os maritimistas pelos conflitos internos, a exibição em Alvalade acabou por ser positiva, tendo Edgar Costa e Djoussé criado problemas à defensiva dos leões. No meio-campo Plessis e Alex Soares conseguiram bloquear algumas acções dos criativos do Sporting, enquanto que Éber Bessa esteve aquém do que tem produzido. Já no sector defensivo, Dirceu foi a melhor unidade.

Etiquetas: ,