Super-Vardy mete uma mão no título; Hayman conquista Paris-Roubaix

Imagem: Daily Mail
Faltam apenas 5 jornadas e os Foxes só precisam de 3 vitórias (como isto está até se perderem os 5 jogos podem ser campeões, já que os rivais tem escorregado). O Leicester até fez um dos jogos menos conseguidos dos últimos tempos, mas superou mais um desafio e fica à espera do Tottenham. A equipa de Ranieri fez um mau primeiro tempo, praticamente não criou oportunidades (muita falta de criatividade, com Mahrez desligado do jogo), até Vardy aparecer mais uma vez em grande nível e decidir a partida. O sonho é cada vez mais real. 

Quando a inspiração não é muita, sobra a eficácia. O Leicester foi ao Stadium of Light bater o Sunderland por 2-0 e está, provisoriamente, com 10 pontos de vantagem sobre o Tottenham. A exibição dos pupilos de Ranieri não foi muito positiva, frente a uma equipa que também precisa desesperadamente de pontos, sendo que na primeira parte as oportunidades de golo escassearam. Os foxes subiram ligeiramente de rendimento na segunda parte, especialmente a partir dos 60 minutos, tendo chegado à vantagem pouco depois. Drinkwater, um dos melhores do encontro, isola Vardy com um passe longo e o matador não perdoou. A acabar, o inglês chegaria ao bis, fruto de um excelente trabalho. Talvez sentindo que o sonho está cada vez mais próximo, Ranieri abandonou o campo em lágrimas.

Uma das maiores surpresas dos últimos tempos. O australiano, que completa 38 anos este mês, já tinha feito 8.º na edição de 2012, mas não era de todo um candidato à vitória (nem sequer ao Top 25 quanto mais, aliás os seus resultados nos últimos anos tem sido nulos); Já Boonen perdeu uma oportunidade espectacular para fazer história; Sagan (apenas 11.º) e Cancellara (ficou em 40.º na despedida), por sua vez, foram tramados pelas quedas - Mathew Hayman venceu a 114.ª edição do Paris-Roubaix. O australiano, da Orica, bateu ao sprint Boonen (Etixx) e Stannard (Sky), com Vanmarcke (LottoNL - Jumbo) e Hagen (Dimension Data) a completarem o Top 5. Uma prova que, invariavelmente, fica marcada pelas quedas, já que uma delas levou a um corte que deixou um grupo, onde seguia Boonen e Hagen, com uma vantagem importante para Sagan e Cancellara. Ainda por cima na fase em que o grupo dos 2 favoritos se aproximava da frente, o Spartacus caiu e com isso hipotecou as suas hipóteses e as de Sagan de chegar à frente. Também no grupo da frente duas quedas tramaram a Sky, que no espaço de poucos metros ficaram sem 3 elementos, um deles o favorito Rowe. Com isto tudo, ficou um grupo na frente de 10 elementos, que mais tarde passou a 5. Curiosamente quando parecia que ia passar a 4, Hayman conseguiu juntar-se e no sprint final evitou que Boonen chegasse à 5.ª vitória neste monumento (o que seria histórico). Também ainda não foi desta que Vanmarcke venceu, tal como a Sky, que continua sem juntar um monumento ao palmarés.

Etiquetas: ,