«Ser convocado para o Euro? Prefiro que chamem o Saúl»

Num país com a qualidade de jogadores que tem a Espanha, é natural que existam sempre muitos nomes em equação para a seleção, mas os últimos jogos vieram acrescentar ainda mais "dores de cabeça" a Del Bosque: Saul, Torres ou o próprio Lucas Vazquez estão a render bastante e a há muitas vozes a pedir a sua chamada. Quanto ao médio do Atlético, que não é internacional AA, tem muita concorrência no meio-campo mas apresenta características diferentes de outros médios espanhóis (maior capacidade física, de transporte e de chegada à área; Já na frente, parecem haver 3 vagas a ser disputadas por El Niño, Aduriz, Morata, Alcácer e Diego Costa.

Fernando Torres voltou a render a alto nível, assumindo-se como titular no Atlético à base de bom futebol e golos (8 nos últimos 15 jogos), e é natural que este momento de forma se fale do seu regresso à seleção. Numa entrevista à Rádio Marca, o avançado foi questionado sobre se espera uma chamada de Vicente Del Bosque, mas preferiu destacar um companheiro: "Não peço que me chamem nem que não. O que gostaria, guardo-o para mim, porque não quero que as minhas palavras caiam mal na seleção. Não tenho problemas nem com Vicente [Del Bosque] nem com a equipa técnica. Chamem Saúl. É melhor. Espero que ele seja chamado à seleção, é o passo seguinte que merece. Vai jogar muitas partidas pela seleção. Oxajá esteja nos convocados, mas, claro, quem decide é o selecionador.", afirmou o ex-Liverpool, Chelsea ou AC Milan, assumindo ainda a sua admiração por Aduriz. Torres disse também que a sua maior ambição neste momento é vencer um título pelo Atlético, algo que nunca conseguiu - "é o único que me falta viver neste clube. Já alcancei coisas que nunca sonhara como ganhar o europeu e o mundial, mas desde pequeno que o meu sonho é ganhar um título aqui"-, antes de concluir afirmando que o Bayern é favorito para passar à final da Champions, pois "é uma equipa melhor do que o Atlético, e se vencer em casa por mais do que um golo não é surpresa para ninguém. Nós demos um passo em frente, mas só um".



Etiquetas: