Rumo à Bola de Ouro'2016

Desde que Ronaldo e Messi se erigiram como os melhores da sua geração, dividindo entre si a maioria dos galardões individuais, a “rivalidade” entre ambos transfigurou a forma como futebolistas, adeptos e o universo do futebol em geral encaram a Bola de Ouro. Nesse sentido, o Visão de Mercado irá mensalmente (com 2 top's extra no meio e final do Ano, com pontuações a dobrar) indicar num ranking aqueles que mais fizeram para conseguir o prémio de melhor jogador do Mundo de 2016 com critérios bem ponderados, ilustrando uma espécie de corrida entre as várias estrelas do futebol mundial. A ideia passa por atribuir uma pontuação aos jogadores que mais se destacaram nesse mês para que no final deste ano civil seja possível, de uma maneira justa, eleger aqueles que foram verdadeiramente os melhores.

Um mês recheado de destaques (nomes como Firmino, Lallana, Ghoulam, Salah, Kroos, Aubameyang, Reus, Lewandowski, Coman, Draxler, Pizarro, Dembélé ou Ghezzal também podiam ter figurado neste Top). Mas tendo em conta a maneira como o individual contribuiu para o sucesso coletivo, este é o "Rumo à Bola de Ouro'2016" de Março:

1.º Lionel Messi (Barcelona)
- 2016 está a bombar para o craque argentino. É por larga margem o melhor marcador do ano e até leva melhores números do que no mítico ano dos 91 tentos. Em março apontou mais 8, fez ainda 3 assistências, fartou-se de dar espetáculo e foi o maior responsável pelas 4 vitórias e um empate do Barça. Na Albiceleste também marcou e apresentou pormenores "maradonianos".
2.º Cristiano Ronaldo (Real Madrid) - Apontou o mesmo número de golos de Messi, mas deu a marcar menos um. O ponto alto do mês foi o poker registado frente ao Celta, num período onde o Real venceu tudo o que disputou. Na Seleção Nacional esteve desinspirado contra a Bulgária, mas frente à líder do Ranking Mundial picou o ponto, depois de 4 jogos sem marcar.
3.º Antoine Griezmann (Atlético de Madrid) - O francês registou o seu melhor mês do ano, com 5 golos e 3 assistências distribuídos entre Atlético e Gauleses. Perdeu apenas um encontro (frente ao Sp. Gijón), mas continua a provar que pertence à elite do futebol mundial, tendo mesmo voltado a marcar de livre direto.
4.º Harry Kane (Tottenham) - O melhor marcador da Premier League está feito um avançado completíssimo, fazendo tudo o que se pede a um avançado dos dias de hoje. Finalizar de qualquer maneira, distribuir jogo com os colegas, ultrapassar adversários no 1x1 e até segurar à espera dos apoios. Em março somou mais 6 tentos (1 pela Seleção dos Três Leões), terminando o mês nos Spurs com dois bis. Tudo somado, são 3 vitórias, 3 derrotas (o Dortmund foi o carrasco) e um empate em 7 encontros.
5.º Dimitri Payet (West Ham) - Agora já não há dúvidas: reforço do ano em Inglaterra. É certo que Kanté encaixou que nem uma luva em Leicester, mas o ex-Marselha tem carregado a equipa do Leste de Londres às costas. Leva 11 golos apontados e 8 oferecidos e nestes 31 dias, juntamente com as vitórias na Seleção francesa, marcou mais 3 e deu outros 4 a marcar. O craque não perdeu mesmo nenhum jogo que enfrentou, empatando 2, vencendo 4.
6.º Gonzalo Higuaín (Nápoles) - Neste momento o objetivo parece ser claro: arrecadar a Bota de Ouro. O avançado do Nápoles tem 29 golos, tendo feito mais 4, em apenas 3 encontros, para o registo. Foram 3 vitórias do Nápoles, mais uma na Albiceleste, onde Pipita fez uma assistência.
7.º Zlatan Ibrahimović (Paris Saint-Germain) - Título de campeão francês assegurado, resta a Champions para terminar o ano em grande. O sueco tem estado abismal ao nível da finalização (tanto em número de golos por minuto, como taxa de acerto) e concretizou por mais 5 vezes em março, e em 5 encontros! O PSG sofreu às mãos do Mónaco e empatou frente ao Montpellier, mas venceu os restantes jogos, fechando a conquista do tetracampeonato com um 9-0 na casa do Troyes.
8.º Riyad Mahrez (Leicester) - Provavelmente o homem da Premier League se o Leicester levar o caneco para casa. O argelino tem melhorado imenso a sua relação com a bola (mais eficaz no drible -> menos perdas de bola), a capacidade de finalização e até a decisão no último terço. Fez 2 golos em Março, juntamente com 5 assistências (só num jogo pela Argélia fez 3), importantes para as 4 vitórias e 2 empates nos encontros em que participou ao longo do mês.
9.º Neymar Jr. (Barcelona) - Ganhou em Messi um novo rival para melhor jogador da temporada, mas ainda tem sido o n.º 1. Fez 4 golos e duas assistências em 3 vitórias e 2 empates entre Barça e Canarinha, tendo brilhado na Liga dos Campeões frente ao Arsenal.
10.º Luis Suárez (Barcelona) - Os índices finalizadores baixaram face ao que tem sido usual, mas um mês com 3 golos e 3 assistências é um bom mês. Somou 2 empates (frente ao Villarreal e pelo Uruguai), mas de resto, venceu os 4 encontros que disputou, brilhando mesmo pelos Charruas.
11.º Keylor Navas (Real Madrid) - Talvez o melhor guardião da época a nível mundial. Se o Real não tem sofrido mais, muito o deve ao costa-riquenho que tem defendido (quase) tudo. Frente ao Sevilha defendeu mesmo uma grande penalidade, numa partida onde, apesar do 4-0 no resultado, foi, por larga margem, o homem do encontro. Somou ainda mais dois jogos em branco, sofrendo 4 golos em 7 jogos (dos quais venceu 6 e empatou um pela Seleção).
12.º Ivan Perišić (Inter de Milão) - Melhor jogador do Inter este mês, tendo vindo dele a maior ameaça à Juventus, no 3-0 no Giuseppe Meazza (os penáltis salvaram a Vecchia Signora do impensável). Fez 5 golos em março, somou duas assistência e foi o principal obreiro pelas 5 vitórias e um empate do conjunto Inter+Croácia.
13.º Paul Pogba (Juventus) - Ganhou, na presente época, uma importância acrescida na manobra ofensiva da equipa, depois de esta falhar as abordagens por um médio ofensivo no mercado (Hernanes foi o escolhido, mas não tem tido esse papel). Cresceu bastante como futebolista com Allegri e agora aos 23 anos parece estar na plenitude das suas capacidades. Esqueçam a sobrevalorização de que já foi alvo, pois o futebol que tem apresentado justifica todo o alarido. Em março fez 2 golos e duas assistências, importantes para as três vitórias da Juve em 5 encontros (os desaires ocorreram frente a Bayern e Inter). Na Seleção gaulesa foi titular em ambas as vitórias.
14.º Jamie Vardy (Leicester) - Época de sonho do avançado inglês que, apesar de não ter marcado pelo seu clube, marcou em ambos os encontros de preparação da sua Seleção. Somou ainda duas assistências, não tendo perdido com o seu Leicester ao longo do mês (4 vitórias, um empate e uma derrota, mas o desaire aconteceu frente à Holanda), continuando vivo o sonho de conquistar o título.
15.º Thomas Müller (Bayern Munique) - O melhor elemento do Bayern neste mês que agora findou. Marcou 3 golos (um importantíssimo frente à Juve que abriu caminho à remontada) e contabilizou ainda duas assistências. Pela Seleção germânica somou um desaire frente à Inglaterra, mas fez parte da goleada imposta à Itália. No registo do mês conta ainda com um empate em Dortmund e uma derrota frente ao Mainz, mas no resto dos encontros saiu com os 3 pontos conquistados.


Etiquetas: