Ronaldo "versão Mundial'2014" no Euro'2016?

Pela segunda grande competição internacional consecutiva, Portugal, uma seleção já muito limitada no que toca a opções ofensivas de grande qualidade, corre o sério risco de entrar em campo com o melhor jogador fisicamente muito condicionado.

Olhando aos últimos 12 anos da seleção portuguesa de futebol há, claramente, um nome acima de todos os outros: Cristiano Ronaldo. O madeirense foi peça-chave no percurso recente da equipa das Quinas, assumindo-se como decisivo em momentos como a chegada à final do Euro'2004, o quarto lugar na Alemanha em 2006, as meias-finais no Euro'2012 ou o apuramento para o Mundial do Brasil. No entanto, o craque do Real Madrid chegou à fase final do último campeonato do mundo em péssimas condições físicas (admitiu mesmo depois que não deveria ter disputado a competição), fruto de uma época em que, pela vontade de jogar todos os minutos de todos os jogos - devido à disputa dos prémios individuais -, chegou ao final sem "combustível". Ora, neste momento, o cenário que se projecta para o Euro'2016 é semelhate. Após nova sequência de vários meses sempre em competição, fazendo questão de ficar até ao fim em jogos que ao minuto 60 estavam já decididos, Ronaldo enfrenta agora problemas físicos que já o deixaram fora do último desafio da La Liga e, sobretudo, da partida da Liga dos Campeões frente ao Manchester City. A gravidade da lesão não é exactamente conhecida, mas a imprensa espanhola aponta que o ideal seriam algumas semanas de paragem, mas que a vontade do português em estar presente, sobretudo, nesta fase decisiva da liga milionária deverá leva-lo a forçar. Assim, tendo em conta estas mazelas físicas de CR7 e a quase certeza de que o prazo ideal para a total recuperação das mesmas não deverá ser cumprido, pela necessidade/vontade de estar presente na altura crucial da temporada, não é difícil imaginar um cenário em que o avançado chegue às mãos de Fernando Santos nas mesmas condições em que chegou às mãos de Bento em 2014, ou seja, muito abaixo do ideal para participar num certame como um campeonato da Europa de futebol. A bem das aspirações da formação lusa, esperemos que o três vezes Bola de Ouro consiga recuperar para estar em pleno em França.


Etiquetas: