Noite negra frente ao 8.º classificado da Bundesliga obriga Real a noite perfeita no Bernabéu; Wolfsburgo até teve oportunidades para ampliar; Ronaldo pecou na finalização

Wolfsburgo 2-0 Real Madrid (Ricardo Rodriguez 18' g.p., Arnold 25')

O Real Madrid não conseguiu potenciar o triunfo no 'El Clásico' e colocou em risco a participação na Champions ao perder frente ao Wolfsburgo, por 2-0. Os merengues abusaram dos erros defensivos, na frente Ronaldo também não esteve melhor, e agora vão ter de sofrer para eliminar o 8.º classificado da Bundesliga. Vieirinha, que esteve a bom nível, foi titular a lateral direito num jogo em que Benzema saiu lesionado ainda na 1.ª parte.

O desafio começou com o Real com a iniciativa, dominando a posse e tentando penetrar no bloco local. Por seu turno, os Alemães apostavam no contra-ataque, e foi numa dessas transições que, aos 12 minutos, Draxler serviu Bruno Henrique mas o cabeceamento foi para as mãos de Keylor Navas. Na resposta, Casemiro assiste bem Benzema, o Francês finta Dante mas Benaglio defende o remate. Logo a seguir, aos 18', o árbitro apita grande penalidade por falta de Casemiro sobre Schurrle e, na transformação, Ricardo Rodriguez abriu o marcador. Sete minutos depois, a coisa começou a complicar-se para os Espanhóis, já que Draxler abriu para Henrique e este cruzou para Arnold encostar para o 2-0. Os Merengues estavam desorganizados, dando muito espaço para que os jogadores mais avançados dos Lobos combinassem, mas podiam ter reduzido aos 33', quando Bale correu 50 metros para chegar à linha de fundo e cruzar para Benzema, mas o número 9 rematou para fora. A noite não estava boa para o avançado e acabou por terminar, futebolisticamente falando, mais cedo, já que depois de vários minutos queixando-se foi mesmo substituído por Jesé aos 41'. No segundo tempo, o Wolfsburgo fechava-se atrás, com as linhas muito juntos, e o Real tinha muitas dificuldades para criar perigo, só assustando Benaglio em duas ocasiões em que Bale assistiu Ronaldo mas o Português finalizou mal. A primeira grande ocasião da segunda parte foi mesmo do equipa da casa, quando aos 69', numa rápida transição a bola chega a Schurrle que, em grande posição dentro da área, remata por cima da baliza rival. Na resposta, Isco, com um grande passe, isola Ronaldo, mas este não consegue bater Bengalio. Nos últimos 20 minutos, o Real nunca criou perigo, circulando sem causar problemas ao Wolfsburgo, tendo mesmo a equipa de Dieter Hecking tido a melhor ocasião na parte final, com Kruse a fintar Danilo e a rematar para boa defesa de Navas. Assim, o resultado final foi mesmo 2-0 e obriga os homens de Zidane a uma "remontada" no encontro da próxima semana.

Destaques:

Wolfsburgo - Enorme resultado para os Lobos, que conseguem uma vantagem de dois golos (e com a baliza inviolada) frente a um dos candidatos à vitória final na competição. A turma Alemã foi competente a juntar as linhas e fechar os espaços, saindo depois em velozes transições, nas quais até poderiam ter feito mais um golo (não só Schurrle desperdiçou uma ocasião claríssima como houve ainda alguns lances que poderiam ter sido melhor definidos). Individualmente, Benaglio fez uma grande exibição, plena de segurança em todos os momentos e sendo chave ao deter disparos de Cristiano e Benzema quando estes estavam isolados, sendo que os defesas protagonizaram todos uma exibição sem falhas, tendo ainda Ricardo Rodriguez assinado o primeiro golo. Mais à frente, Arnold fez um grande jogo, abarcando muito campo, destacando-se quer na pressão quer na forma como chegou à área rival para fazer o segundo golo, e Draxler voltou a provar que é a jóia da coroa neste elenco, sendo um quebra-cabeças para Danilo pela esquerda (muita forte na condução).

Real Madrid - Horrível. A  injecção moral que poderia ter sido dada pela vitória do Camp Nou esfumou-se por completo depois desta partida, na qual a equipa de Zidane esteve pouco incisiva com bola, pecando muitas vezes por uma circulação lenta e previsível, tendo depois os típicos problemas desta equipa frente a rivais fortes na transição (por inúmeras vezes o Wolfsburgo causou calafrios nesse momento). Agora será preciso uma noite se erros no Bernabéu para seguir em frente (o que é perfeitamente possível, já que os Merengues, individualmente, são muito mais fortes que o adversário). Individualmente, toda a linha defensiva esteve horrível (Danilo passou um pesadelo com Draxler, Pepe e Ramos somaram desatenções e Marcelo nem com bola se destacou), ao passo que os médios, que até começaram bem, depressa caíram num jogo cheio de imprecisões. Na frente, Bale, hoje pela esquerda, abusou do cruzamento com pouca gente na área e Cristiano Ronaldo pecou na finalização, já que em 3/4 situações nunca conseguiu rematar da melhor forma.

Etiquetas: , ,