O Engraçadinho que tira boas notas

“Na escola havia sempre o engraçadinho da turma e o Lito é o engraçadinho da classe. Mas tem de haver alguém para nos divertir senão isto era uma monotonia" - Paulo Fonseca. Esta foi sem dúvida das melhores conferências de imprensa desta época na primeira liga portuguesa! No entanto há que separar a imagem que o treinador transmite, da qualidade e desempenho do seu trabalho. Neste capítulo Lito Vidigal tem-se tornado no verdadeiro engraçadinho, com algumas faltas disciplinares e manifestações épicas que contrariam toda a postura eticamente correta do treinador de Primeira Liga. No entanto Lito é brincalhão mas não desatento, cria momentos de chacota mas nos testes o seu nome aparece sempre nas melhores notas…Sorte, mau futebol, anti-jogo, tudo são adjetivos que vão caracterizando este aluno peculiar, no entanto o seu nome vai aparecendo no quadro de honra da escola e o mérito ninguém o pode tirar!

Se o Paços de Ferreira tem o jovem prodígio Diogo Jota; o Rio Ave um conjunto de jogadores sempre apontados aos três grandes; o Moreirense o goleador Rafael Martins; o Estoril o matador Léo Bonatini; O Vitória de Guimarães o criativo Otávio; o Arouca tem… uma equipa! Não existe uma referência no conjunto dos Arouquenses, existe um líder que curiosamente é o engraçadinho da classe dos treinadores.

Sem resultados que mereçam um destaque nos jornais, o conjunto dos Passadiços do Paiva “vai pontuando…”, de tal forma que a humildade desta equipa nunca apontou um lugar europeu numa entrevista. Com vitórias sobre o Benfica e FC Porto (no Dragão), a equipa liderada por Lito apenas perdeu os dois confrontos contra uma equipa na Primeira Liga e foi contra o Sporting! Seis derrotas em 31 jogos (4 contra os “Grandes”) e uma derrota nos últimos 12, está na altura de levar este conjunto engraçado em consideração e um lugar europeu é mais do que merecido por todo o trabalho e humildade que esta equipa tem demonstrado.

Num ponto de vista tático o Arouca assume uma postura defensiva jogando num 4-2-3-1 em que deixa o adversário assumir o jogo. A defesa é prioridade e quando não se pode vencer o empate é garantia de um ponto (13 empates) são estes os pontos que distanciam o 5.º lugar do 13.º! Um plantel limitado em termos individuais onde o melhor marcador é Maurides com 5 golos, o protagonismo vai sendo repartido por todo o plantel com as bolas paradas a assumir um papel fundamental no sucesso ofensivo da equipa. No que diz respeito às bolas corridas o Arouca mostra que tem a lição bem estudada e grande parte dos seus golos advém de contra-ataques fabricados por apenas 4 unidades ofensivas que demonstram o que saber fazer à bola na transição defesa-ataque.
Poderíamos ter um James Bond a passear nos Passadiços do Paiva ou até mesmo um especialista em tamanhos de relva, no entanto temos um engraçadinho que gosta de espicaçar os adversários com as suas atitudes um pouco a lembrar o futebol distrital. Assim vai protegendo a equipa de todo o mediatismo que estes dados estatísticos e resultados poderiam levar a perderem a sua humildade e pensar em “dar o salto” para outros clubes. Sem dúvida que há que dar os parabéns a este projeto e lembrando Freud “Há duas maneiras de ser feliz nesta vida: uma é fazer-se de idiota; a outra é sê-lo.” Neste capítulo Lito parece incorporar perfeitamente esta citação.

Visão do Leitor (perceba melhor como pode colaborar com o VM aqui!): André Mendes

Etiquetas: