Rumo à Bola de Ouro'2016

Desde que Ronaldo e Messi se erigiram como os melhores da sua geração, dividindo entre si a maioria dos galardões individuais, a “rivalidade” entre ambos transfigurou a forma como futebolistas, adeptos e o universo do futebol em geral encaram a Bola de Ouro. Nesse sentido, o Visão de Mercado irá mensalmente (com 2 top's extra no meio e final do Ano, com pontuações a dobrar) indicar num ranking aqueles que mais fizeram para conseguir o prémio de melhor jogador do Mundo de 2016 com critérios bem ponderados, ilustrando uma espécie de corrida entre as várias estrelas do futebol mundial. A ideia passa por atribuir uma pontuação aos jogadores que mais se destacaram nesse mês para que no final deste ano civil seja possível, de uma maneira justa, eleger aqueles que foram verdadeiramente os melhores.

Um mês recheado de destaques (nomes como Abate, Thiago Silva, Tolisso, Özil, Fàbregas, Kanté, Rashford, Cuadrado, Marchisio, Pjanic, El Shaarawy, Jonas, Müller ou Raffael também podiam ter figurado neste Top). Mas tendo em conta a maneira como o individual contribuiu para o sucesso coletivo, este é o "Rumo à Bola de Ouro'2016" de Fevereiro:

1.º Luis Suárez (Barcelona) 
- Bombástico! O melhor marcador e melhor assistente do campeonato espanhol voltou a fazer mais um daqueles meses. Assinou um poker frente ao Valencia para a Taça, um hat-trick contra o Celta e depois marcou frente a Levante, Gijón e Las Palmas. Para além fez 6 assistências, isto tudo num mês em que o Barça venceu os 7 jogos que disputou.
2.º Lionel Messi (Barceloca) - La Pulga parece estar a voltar à sua melhor forma. Voltou aos registos habituais na capacidade desequilibradora, não para de marcar de livre e mais importante de tudo: os seus golos valem resultados (60% dos seus golos aconteceram em situações que a sua equipa estava a perder ou empatar). Em Fevereiro praticamente eliminou o Arsenal da Liga dos Campeões com um bis no Emirates, fez hat-trick frente ao Valencia, marcou na goleada ao Celta e ainda decidiu frente ao Gijón com um bis e na receção ao Sevilha. Ao todo, 9 golos e 3 assistências num mês 100% vitorioso dos culés.
3.º Zlatan Ibrahimović (PSG) - E parece que ninguém ainda encontrou antídoto para o vinho do Porto. Zlatan continua on-fire, não para de marcar e aos 34 anos, numa fase onde a sua saída parecia inevitável (até para dar espaço a elementos mais novos), está a deixar dúvidas na direção do PSG. Em 6 jogos fez 5 golos (mais 4 assistências), chegando aos 30 na temporada, e isto em apenas 35 jogos. Faltou marcar na deslocação a Lyon, o único desaire da formação de Paris em Fevereiro. 
4.º Robert Lewandowski (Bayern) - E já que se fala em não parar de marcar, eis Lewandowski! O polaco em Fevereiro assumiu o estatuto de melhor marcador da Bundesliga e também ainda está na luta pela Bota de Ouro. Leva 35 tentos em 35 encontros, não sendo por isso de estranhar que tenha feito mais 6 em 6 jogos neste mês que findou. Fez ainda um passe para golo, registos importantes para as quatro vitórias e 2 empates dos bávaros.
5.º Neymar Jr. (Barcelona) - Um mês um pouco abaixo do que é costume, mas que chega para o Top-5 (o que só demonstra a brutalidade de época que o brasileiro tem feito). Marcou 2 golos, fez 3 assistências, foi fulcral para as 7 vitórias dos Blaugrana, mas no final de tudo tem tido muito azar, principalmente com os postes que já lhe "anularam" alguns golos (outros é mesmo Suárez quem lhos "tira").
6.º Leonardo Bonucci (Juventus) - Guardiola falou e o Mundo acordou. Bonucci é neste momento um dos 5 melhores centrais do Planeta e as suas exibições não têm passado despercebido, principalmente na maior montra de futebol a nível mundial. O central italiano é um dos maiores responsáveis pelo excelente registo defensivo da Juventus, tendo mesmo feito o gosto ao pé no final do mês frente ao Inter (e a maneira como festeja para a bancada é apenas mais uma amostra do carinho que representa para os tiffosi da Juve).
7.º Henrikh Mkhitaryan (Dortmund) - O arménio tem sido o melhor jogador do Borussia Dortmund este ano, mesmo contando com os registos goleadores de Aubameyang e mesmo na Bundesliga é difícil encontrar alguém com a mesma consistência exibicional. Em Fevereiro fez 3 golos e duas assistências, num mês em que um empate em Berlim, frente ao Hertha, "estragou" o registo do Dortmund que podia ter feito 7 em 7. Contra o FC Porto esteve um nível acima de qualquer outro jogador em ambas as partidas.
8.º Cristiano Ronaldo (Real Madrid) - Uma das figuras mais faladas no último mês, mais pelo que disse fora de campo do que pelo o que mostrou no retângulo verde. CR7 anotou 4 tentos e uma assistência, mas terminou o mês com dois dissabores que afastaram o Real Madrid do título espanhol. O primeiro foi um empate em Málaga, onde marcou mas falhou uma grande penalidade e o segundo foi mais uma derrota no Bernabéu para o dérbi madrileno (onde o português raramente apareceu no jogo).
9.º Jan Oblak (Atlético) - Incrível: é o que se pode dizer do registo defensivo do Atleti este ano. 27 encontros volvidos na Liga BBVA os colchoneros encaixaram apenas 11 golos (equipa que sofre menos nos principais campeonatos europeus), e o maior "culpado" é Oblak e a sua defensiva que vão mantendo a baliza inviolável jogo após jogo. Nestes 29 dias do mês entrou em campo por 6 vezes e só não saiu sem golos numa ocasião (3-1) frente ao Eibar. São 6 jogos e apenas 1 golo sofrido, o que impulsionou uma estadia (talvez até definitiva) no 2.º lugar do campeonato espanhol.
10.º Kun Agüero (Man City) - O City não está bem e não se recomenda (3 vitórias e duas derrotas durante o segundo mês do ano). Mesmo assim festejou a conquista de um troféu em Fevereiro: a Taça da Liga inglesa. E o argentino foi um dos maiores responsáveis por tal, não tendo desperdiçado a grande penalidade e tendo oferecido a Fernandinho o primeiro golo do encontro. À parte disso, marcou 3 golos no resto do período.
11.º Dimitri Payet (West Ham) - Talvez o reforço do ano na Premier League. O francês não só caiu que nem ginjas no este de Londres, como se catalogou como melhor jogador da equipa. Após o regresso de lesão continua a fazer do seu West Ham uma das melhores equipas em Inglaterra, não sendo por isso de estranhar o recorde de pontos que a equipa bateu no passado fim-de-semana. Payet foi mais uma vez responsável por tal, ele que fez 3 golos e deu 2 a marcar, em 4 vitórias, um empate e uma derrota dos Hammers.
12.º Jamie Vardy (Leicester) - Registo menos goleador do que o normal, mas suficiente para liderar a tabela de melhor marcadores da Premier League. O avançado do Leicester marcou mais 3 golos, assistiu ainda noutro, em 3 vitórias e uma (inglória) derrota durante o mês.
13.º Mohamed Salah (Roma) - Muita velocidade e muito perigo nas alas agora que ao egípcio também se juntou outro faraó. O extremo da Roma marcou 4 golos, fez duas assistências e foi um dos maiores responsáveis pela recuperação da equipa no campeonato face aos rivais. Em 6 encontros, os giallorossi venceram 5, tendo a derrota acontecido para a Liga dos Campeões, na receção ao Real Madrid.
14.º Willian (Chelsea) - De longe o melhor elemento do Chelsea nesta péssima temporada dos blues e numa fase em que Hiddink tem recuperado o futebol para os lados de Stamford Bridge, é natural que o brasileiro faça parte do Top-15. Marcou 2 golos, fez duas assistências, em 4 vitórias, 2 empates e uma derrota. Desaire esse frente ao PSG para a Champions, onde o criativo não deixou de estar em foco.
15.º Gerard Piqué (Barcelona)- "Renascido". Esta foi a capa do Mundo Deportivo no primeiro dia de Março. Já havíamos adiantado há um ano atrás, mas agora é destaque em Espanha. Mês perfeito do Barcelona, com 7 vitórias em 7 jogos e o central não passou indiferente nos destaques. Tanto que fechou o mês com um golo frente ao Sevilha, importante para selar um difícil triunfo (Rico na baliza esteve inspirado).

Etiquetas: