As contas das Ligas Europeias: Bundesliga

A Primavera aproxima-se a passos largos, e com ela chegamos à fase decisiva dos campeonatos do Velho Continente, com as jornadas finais a prometerem, como sempre, emoção na luta pelos diversos objectos em disputa (sejam eles o título, a chegada a lugares europeus ou a manutenção).

A Bundesliga conta com um colosso, o Bayern de Munique, que este ano tem tido bem mais luta do que era esperado, graças ao excelente Dortmund de Tuchel. A corrida pela Europa (quer pela Champions quer pela Liga Europa) está ao rubro, com várias equipas a uma fina distância entre ficarem em terceiro ou fora da UEFA. Já no fundo da tabela, há um Português quase a descer e, de resto, muita indefinição.

Título - No início da temporada, todos pensariam que esta já nem seria uma questão nesta altura da Liga, mas a verdade é que apenas 5 pontos separam Bayern de Munique e Borussia Dortmund. A equipa de Guardiola está, de novo, a fazer uma excelente campanha (20 vitórias e 3 empates em 25 jogos, muito na linha do que tem sido feito pelos Bávaros - somam menos um ponto que na época passada ou menos dois do que na época do Triplete de Heynckes-), mas a grande diferença está no conjunto de Tuchel, homem que conseguiu aumentar imenso o nível após uma última época de Klopp bastante aquém. Assim, o Bayern não se pode descuidar, pois qualquer deslize colocaria o Dortmund a uma distância mínima, mas a verdade é que tendo em conta o habitual registo em provas de regularidade de Guardiola, em condições normais (e apesar do enorme nível da Bundesliga, muitas vezes algo desprezado) esta margem servirá para levantar o Tetra (algo inédito na história da competição)

Europa - Ainda tudo por decidir. A classe média-alta do futebol Germânico está a ter um ano atípico, com Wolfsburgo (menos 16 pontos do que na época passada à mesma jornada), Borussia Monchengladbach (menos 5 pontos)  e Bayer Leverkusen (menos 6 pontos, muito devido a uma horrível forma recente, já que em 2016, para a Bundesliga, os Farmacêuticos só venceram 2 partidas em 8) a estarem bem abaixo da prestação de 2014/2015, o que leva a uma corrida muito aberta pelo terceiro lugar, que dá qualificação directa para a Champions. De momento, o último lugar do pódio é ocupado pelo Hertha de Berlin, uma das equipas do futebol Europeu que mais cresceu da passada campanha para esta (o ano passado nesta fase era décimo quarto). Bem colocado ao conjunto da capital está o Schalke, que apesar de uma prestação semelhante à do ano passado (só mais 2 pontos) beneficia do baixo nível de outras equipas para sonhar com a qualificação directa para a Liga Milionária. Outra agradável surpresa é o quinto classificado Mainz, que está logo à frente dos 3 conjuntos mais cotados referidos acima. Com 6 pontos a separarem oitavo e terceiro, ainda tudo pode acontecer, havendo a séria possibilidade de conjuntos cotados (como o Wolfsburgo, que está nos quartos da Champions) ficarem de fora da Europa e de outros bem menos apetrechados estarem na Champions League.

Descida - 10 derrotas nos últimos 11 jogos praticamente condenaram o Hannover, de Hugo Almeida, à II Liga. A terrível forma da equipa deixa-a a 7 pontos do antepenúltimo lugar, posto que permite uma última hipótese de salvação, através de um playoff contra o terceiro classificado do segundo escalão do futebol Alemão. Mais acima está o Hoffenheim, que desde a chegada do técnico de 28 anos Julian Nagelsmann subiu de rendimento (2 vitórias em 5 jogos, tantas como nas 14 jornadas anteriores), conseguindo aproximar-se de um Eintracht Frankfurt que não vence há 7 jogos. Para lá destas equipas, sofrerão até final o Darmstad e o Augsburgo, tendo o Werder Bremen ganho alguma margem desde a paragem de Inverno, já que em 2016 só perdeu 2 jogos em 8, tendo vencido 4. Colónia, Estugarda, Hamburgo ou Ingolstad, em princípio, terão um final de temporada mais ou menos tranquilo.

Pedro Barata

Etiquetas: