«Não sou pago para comentar as decisões do treinador»; International Board aprova vídeo-árbitro a nível experimental; Cancellara vence Strade Bianche

Boas medidas?

International Board (IFAB), entidade que regula as leis no futebol, aprovou hoje, a título experimental, o recurso às imagens vídeo nas arbitragens dos jogos. O período experimental decorrerá durante os próximos dois anos, “o mais tardar na época 2017/2018”, para, segundo o comunicado do IFAB, “identificar as vantagens, desvantagens e os piores cenários”. Após o aval à tecnologia de linha de golo, em 2012, o ‘guardião’ das leis do futebol voltou a abrir as portas a outras tecnologias para auxílio do trabalho dos árbitros. O período experimental servirá para "identificar vantagens, desvantagens e os piores cenários", observou a FIFA, considerando a decisão "um marco histórico". Durante o período de testes, os árbitros podem pedir imagens vídeo para ajudar na determinação de quatro tipos de momentos importantes do jogo: golos marcados, cartões vermelhos, penaltis e identidades trocadas. Ainda durante esta fase, um árbitro assistente que estará encarregue do visionamento das imagens pode revê-las a pedido ou tomar a iniciativa de comunicar ao árbitro um incidente que pode ter escapado à equipa de arbitragem. A IFAB anunciou ainda a reformulação da legislação aplicável ao "triplo castigo", em que há simultaneamente expulsão, grande penalidade e castigo aplicado ao jogador faltoso. Os jogadores serão advertidos ao invés de expulsos, exceto em casos tipificados, como a conduta violenta ou a manifesta ausência de intenção de jogar a bola. O International Board aprovou ainda a realização de experiências relativas ao recurso a uma quarta substituição em caso de prolongamento, sem que tenha sido decidido em que competição os testes vão ser levados a cabo. Fonte: Agência Lusa

Sem jogar, dificilmente terá hipóteses de ir ao Europeu e nesta fase não parece crível que Unay Emery volte a dar a titularidade ao português - Beto revelou que teve propostas em Janeiro para abandonar o Sevilha, mas optou por ficar, apesar de não ser opção para Unay Emery desde a terceira jornada do campeonato espanhol. "Sempre respeitei as decisões dos treinadores e não sou pago para as comentar. Não vou agora começar a fazê-lo. O que posso e devo dizer aos adeptos do Sevilha é que estou cá com muito orgulho", admitiu. O guardião português disse também que "há sempre interesse de outros clubes e que é natural haver", revelando que em Agosto recusou uma proposta que "mudaria financeiramente a vida".

O Spartacus parece decidido a limpar tudo na época de despedida; Sagan esteve melhor que em 2015 mas foi apenas 4.º; Valverde e Nibali desiludiram - Fabian Cancellara venceu a espectacular Strade Bianche ao superiorizar-se a Stybar, o vencedor de 2015. Cancellara, que triunfou na clássica italiana pela 3.ª vez, juntamente com Stybar e Sagan atacou na penúltima dificuldade, juntando-se a Brambilla, que esteve na fuga do dia. A poucos kms do fim o incansável Brambilla atacou mas na subida final foi ultrapassado por Cancellara e Stybar, tendo o Spartacus batido o checo. Brambilla fechou o pódio, com Sagan, que não teve forças na subida final, a ser 4.º. Vakoc foi 5.º à frente de Van Avermaet, Ulissi, Benoot, Nordhaug e Valverde (a Movistar trabalhou muito mas o espanhol este ano não conseguiu acompanhar o ataque dos melhores).