Defesa português na mira da Juventus; Académica deixa zona de descida; Valencia acentua crise; Portugal derrotado pela Áustria na Taça Davis; Matthews é o 1.º líder do Paris-Nice; Lakers surpreendem os Warriors

A lateral direito, defesa esquerdo ou até a extremo, tem sido indiscutível para Neville, e dada a ausência de bons jogadores para a sua posição é natural que agite o mercado no próximo Verão.

A Juventus, como aconteceu com Alex Sandro, quer acautelar o futuro e tem como objectivo para o próximo Defeso encontrar uma boa alternativa para Lichtsteiner, de preferência um lateral direito jovem, ainda com margem para evoluir. Neste sentido, de acordo com a imprensa italiana, João Cancelo é um dos principais alvos da Vecchia Signora. O português do Valencia preenche todos os requisitos e a sua época tem sido positiva. Vrsaljko (Sassuolo), Manquillo (Marselha/Atlético) e Fabinho (Mónaco) também estão na lista do campeão italiano.

Estudantes conseguem sair da zona de despromoção, tendo agora mais um ponto do que o Boavista - A Académica recebeu e venceu o Vitória de Guimarães por 2-0, graças a um bis de Marinho, num encontro que fica marcado pela expulsão de Pedro Henrique. Após uma primeira parte sem golos, aos 49' Pedro Henrique derrubou Nii Plange quando este estava a ir para a baliza e o árbitro considerou ser grande penalidade e expulsão. Na conversão, João Miguel Silva ainda defendeu o disparo de Rui Pedro mas Marinho foi mais rápido do que os jogadores dos minhotos a chegar ao ressalto e encostou para o 1-0, sendo que 2 minutos depois o mesmo Marinho isolou-se e picou a bola sobre o guardião, tendo esta encontrado o poste direito mas o ressalto favoreceu o herói do Jamor em 2012 que fixou o resultado final. 

Ché devem apostar todas as fichas na Liga Europa (cuja vitória garante presença na Champions), ao passo que os Colchoneros seguem com 4 pontos de vantagem para o Real - O Atlético de Madrid foi ao Mestalla vencer o Valência (com Cancelo e André Gomes a tempo inteiro) por 3-1, resultado que empurra o conjunto de Neville para o 11.º lugar. O primeiro golo da partida surgiu aos 24', com Griezmann a rematar colocado ao poste esquerdo da baliza de Diego Alves, mas Cheryshev, 4 minutos depois, levou o jogo empatado para o intervalo. Na segunda parte, aos 72', Giménez desvia ao primeiro poste um canto da direita e Torres desvia para fazer o 2-1, tendo Carrasco, já quando Aderlan havia sido expulso, feito o 3-1 final (Diego Alves fica mal na fotografia). Já o Athletic Bilbau foi a Gijón vencer por 2-0, com golos de Benat e De Marcos (os Bascos são sextos, a 1 ponto do Sevilha, e os Asturianos penúltimos, a 2 pontos da salvação), ao passo que Real Sociedad e Levante empataram a 1, numa partida com golos "portugueses": Diego Reyes fez o primeiro aos 14' e Deyverson empatou aos 24'.

Ficou a ideia que Portugal podia ter ultrapassado esta fase - Depois de dois dias muito equilibrados (Gastão Elias esteve muito perto de derrotar Thiem, enquanto que ontem, na partida de pares, a dupla portuguesa esteve a liderar 2-0), o terceiro e mais esperado dia trouxe desilusão para as hostes portuguesas. No tão aguardado João Sousa vs Dominic Thiem, o austríaco fez valer o estatuto de nº 14 do mundo e derrotou o melhor jogador português de sempre (a jogar em casa) por 6-2, 6-4 e 6-2, em pouco mais de hora e meia. Sousa esteve mal no capítulo do primeiro serviço (não tendo também conseguido nenhum ponto de break), ao contrário do seu opositor, que nos pontos importantes e decisivos, elevou o nível e não deu quaisquer hipóteses. No último confronto, já com a eliminatória resolvida, Pedro Sousa defrontou Novak (quando no escalonamento inicial seria Elias vs Melzer) e perdeu por 6-4 e 6-3. Palavra ainda para o público de Guimarães, que mais uma vez compareceu em peso, criando um grande ambiente e mostrando também um grande fair-play.

É quase como se o Barcelona fosse derrotado pelo Levante - Enorme surpresa na NBA, com os campeões Warriors a serem derrotados em LA pelos Lakers, por 112-95. Clarkson, com 25 pontos, foi o melhor marcador da pior equipa do Oeste, Huertas com 10 pontos e 9 assistências também esteve em destaque; Já o MVP Curry esteve irreconhecível, com apenas 1 em 10 nos triplos. Apesar deste desaire, o 6.º esta época, GSW continua confortável na liderança.

MM já tinha  assumido que ia lutar pela vitória na prova; Os favoritos Thomas, Porte e Contador minimizaram perdas; Rui Costa foi o pior dos candidatos ao triunfo - Na abertura do Paris-Nice, Michael Matthews, da Orica, venceu o prólogo inaugural e arrecadou a amarela. O australiano fez o percurso de 6.1 km em menos 1 segundo que o especialista Tom Dumoulin, sendo que G. Thomas, da Sky, perdeu 7 segundos, R. Porte, da BMC, 11 e A. Contador, da Tinkoff, 16 segundos. Já o português Rui Costa ficou na 88ª posição, perdendo 32 segundos, enquanto que o seu irmão Mário Costa e Sérgio Paulinho ficaram ambos a 42 segundos da liderança. Nos próximos dias prevêem-se chegadas ao sprint, onde elementos como Kittel, Greipel, Kristoff, Bouhanni, Demare ou o próprio Matthews podem brilhar.

Etiquetas: , , ,