Casemiro e Navas salvam Real Madrid; Belenenses castiga um Sp. Braga desfalcado; Nélson Cruz e Salomé Rocha sagram-se campeões de corta-mato

Exibição muito pobre dos merengues e um resultado até injusto (Navas foi claramente o melhor campeonato) mas este também já é um Real de serviços mínimos no campeonato. A utilização de jogadores - hoje Zidane descansou Marcelo, James, Danilo e Kroos - é feita com o objectivo de chegar aos jogos decisivos da Champions com as peças chave na melhor forma; Mesmo assim a nível individual pedia-se mais a alguns jogadores: Bale, apesar de ter sido o único a rematar na 2.ª parte, ainda procura a melhor forma; Isco esteve apagado; Kovavic entrou muito mal e esteve no lance do 1-1 do Las Palmas; e Ronaldo (actuou como referência na zona 9 e desperdiçou algumas oportunidades que por norma não falha), ao contrário dos últimos jogos, também pouco acrescentou. Pela positiva, a boa prestação de Casemiro, que, além do golo, desempenhou como se pede a função de médio defensivo (forte a recuperar e a antecipar, e sempre a jogar simples).

O Real Madrid deslocou-se às Canárias e venceu o Las Palmas por 2-1, tendo Casemiro garantido o triunfo já em cima dos 90. A partida iniciou-se com a equipa da casa a assumir o controlo das operações e a indiciar mais um jogo em que os merengues viriam a ter dificuldades, com as já conhecidas limitações sem bola da equipa, fruto de um processo defensivo que envolve poucos homens. Ainda assim, e contra a corrente, o primeiro lance de perigo iminente esteve nos pés do capitão da selecção nacional que, após uma transição rápida liderada por Isco, atirou por cima ainda antes dos 10 minutos de jogo. Do outro lado, e numa das várias perdas de bola de Modric, Willian José foi o cabeça de cartaz do desperdício e não conseguiu bater Keylor Navas, ele que viria a ser decisivo na vitória. Até final do 1.º tempo, nota para mais um desperdício de Ronaldo, que ainda assim esteve na origem do golo, já que na sequência do canto Sergio Ramos antecipou-se e após um belo gesto técnico de cabeça deu vantagem aos 23 minutos. Quanto aos segundos 45 minutos, mais do mesmo, com o conjunto de Setién a dar uma excelente imagem e a procurar de forma insistente a baliza dos blancos, algo que foi conseguido apenas na recta final do jogo (Willian José aos 87'), muito por culpa do Costa-riquenho que voltou a dar espectáculo na baliza (imensas intervenções de alto nível, em particular na velocidade com que sai dos postes e faz a mancha) e impediu o golo por várias vezes. E quando o empate já parecia uma certeza, Casemiro resolveu aos 89', da mesma forma que Ramos (não se livrou de mais uma expulsão, que mancha uma exibição imaculada), com uma cabeçada que deu os 3 pontos a Zidane.

Minhotos, que já não parecem interessados na luta pelo 3.º lugar, pouparam os principais elementos (em relação à partida frente ao Fenerbahçe só repetiram 3 jogadores: André Pinto, Goiano e Luiz Carlos) - Numa partida entre a eliminatória dos oitavos de final da Liga Europa, o Sp. Braga foi ao Restelo e foi derrotado pelo Belenenses por 3-0. Nesta 26.ª ronda, Paulo Fonseca deu descanso a quase todos os jogadores mais utilizados e deu-se mal, sendo dominado por um Belenenses ambicioso, agressivo e com qualidade no momento ofensivo. Aguilar, Bakic e Carlos Martins voltaram a destacar-se no meio-campo, mas, apesar do domínio dos Azuis do Restelo no 1.º tempo, o primeiro golo surgiu numa bola parada, tendo Gonçalo Silva marcado aos 56 minutos. Pouco depois, Velázquez lançou Miguel Rosa no encontro e o médio ofensivo/extremo aumentou a vantagem da formação da casa, respondendo da melhor maneira a um grande cruzamento de Sturgeon. 5 minutos depois, Tiago Caeiro, num livre batido por Carlos Martins, fez o terceiro, num lance em que os centrais do Sp. Braga ficam mal na fotografia. O Belenenses marcava assim 3 golos em 10 minutos e carimbava o regresso aos triunfos precisamente um mês depois; Já o Sp. Braga com esta derrota ficou a 11 pontos do FC Porto e deve ter dito adeus em definitivo ao 3.º lugar.

A prova feminina ficou marcada por um momento insólito, já que Sara Moreira liderou e chegou mesmo a festejar a vitória, o problema é que ainda faltava uma volta. Depois de alertada do erro pelos juízes não conseguiu retomar a prova, chorando - O amador Nélson Cruz (Clube Pedro Pessoa), em masculinos, e Salomé Rocha (Benfica), em femininos, sagraram-se hoje campeões nacionais de corta-mato, na pista das Açoteias, em Albufeira. Coletivamente, o Sporting conquistou o título masculino, enquanto o Benfica sagrou-se campeão feminino.

Etiquetas: