«Benfica tem um dos melhores ataques da Europa»; Leicester oferece 15,5 ME por alvo do FC Porto; Matthews consolida liderança no Paris-Nice

Concorda?

André Villas-Boas afirmou, hoje, que o Zenit vai atacar e tentar chegar ao golo de várias maneiras, no entanto fez questão de realçar que a sua equipa não se pode desequilibrar já que o Benfica tem neste momento uma frente de ataque temível. "Não vamos estar na mesma forma [de Lisboa]. São circunstâncias diferentes. Finalmente temos jogos nas pernas. Estamos bem fisicamente, com ritmo competitivo. Jogamos em casa em ambiente difícil. Os adeptos podem fazer a diferença. Contamos com tudo isso, além da organização, para nos levar aos quartos de final", vincou na antevisão da 2.ª mão dos oitavos-de-final da Champions. "Queremos ganhar. Atacar por fora, por dentro e em profundidade. Criar o maior número de situações para a vitória. Mas não podemos só fazer só jogo ao ataque, pois devemos ter cuidado com um dos melhores ataques da Europa", concluiu o ex-Tottenham. Quanto ao sub-rendimento do ex-portista Hulk, e suposto desagrado do brasileiro por a sua saída para a China ter sido bloqueada, o treinador garantiu que o avançado "está cheio de vontade de jogar". "Ele já faz parte da história do Zenit. Espera-se sempre mais dos [jogadores] mais importantes das equipas. Há muita expectativa, mas a equipa vem primeiro. Está lá para ajudá-lo. Criar situações para que se encontre e volte ao rendimento. É dos melhores marcadores do campeonato e um dos melhores da 'champions'. Estamos tranquilos. Que regresse ao seu melhor momento. Estamos satisfeitos com o seu rendimento", reforçou.

Ahmed Musa também está na mira do líder da Premier League - Pione Sisto, extremo do Midtjylland, que está há muito referenciado pelo FC Porto, é hoje colocado na rota do Leicester pela imprensa inglesa. Em Inglaterra dão mesmo conta que o Premier League terá apresentado uma oferta de 15,5 milhões de euros pelo jovem dinamarquês.

O australiano afirma estar no melhor momento da carreira, mas será difícil resistir nas etapas mais duras - Na 2ª etapa do Paris-Nice, Michael Matthews (Orica), líder da prova, venceu a etapa ao sprint, beneficiando da desclassificação de Nacer Bouhanni, da Cofidis. Num final polémico, os comissários entenderam que o francês realizou um sprint irregular, encostando Matthews às barreiras e, por isso, atribuíram a vitória na etapa ao líder da geral individual. Bonifazio, da Trek, foi terceiro.

Etiquetas: ,