Barry diz que Diego Costa não o mordeu; PSG é tetracampeão; Thomas tremeu mas segurou a vitória no Paris-Nice

Apesar do domínio recente, foi apenas o sexto título para o PSG. Mas dificilmente não virão mais nos próximos anos. Os parisienses sagram-se tetracampeões à 30ª jornada e podem agora atacar a Liga dos Campeões, onde têm mais hipóteses do que nunca. Mesmo com a fraca concorrência, tem de ser dado todo o mérito a Blanc, que geriu bastante bem o plantel, tem os jogadores em boa forma para a fase decisiva e, sobretudo, colocou a equipa a praticar um futebol de qualidade. 

Que passeio. O PSG pôs as duas mãos no título francês ao vencer em Troyes por uns inacreditáveis 9-0. Depois do deslize do Mónaco, a equipa de Blanc só precisava de ganhar para se sagrar campeã, e não teve dificuldades para ultrapassar um adversário que já está condenado. Aos 20 minutos o encontro já estava nos 3-0, com golos de Cavani, Pastore (bela exibição) e Rabiot. Na segunda parte, foi o show Ibra. O sueco fez um hat-trick em 10 minutos (mais tarde chegou ao poker) e chegou aos 25 golos no campeonato, para além de 11 assistências. Fantástico. Houve ainda tempo para o bis de Cavani e para um auto-golo de Saunier.

O galês chegou a ter a prova perdida no Col d'Èze (Henao foi uma ajuda crucial), mas soube anular a diferença alcançada por Contador e Porte na descida e no terreno plano com a ajuda de Gallopin, uma das surpresas do top-10. Todavia, ficou aqui dado um primeiro sinal de que Thomas ainda não é Wiggins, tendo ainda assim carimbado a 4ª vitória da Sky no Paris-Nice. Por outro lado, Contador deu tudo, atacou de muito longe e esteve perto de conseguir mais uma enorme proeza, enquanto que Porte fecha no pódio. Por fim, Wellens ofereceu a quarta vitória à Lotto nesta temporada e parece claro que é um dos homens a seguir nas Clássicas das Ardenas, enquanto que Rui Costa fechou no 10º lugar.

Na última etapa do Paris-Nice, Tim Wellens, da Lotto Soudal, triunfou, em Nice, à frente de Alberto Contador, da Tinkoff, e de Richie Porte, da BMC. Na geral, Geraint Thomas, da Sky, segurou o primeiro lugar na classificação, embora tenha passado por dificuldades na últimas subida do dia (Henao acabou por ser preponderante mais uma vez). Contador atacou a cerca de 50 km da meta, mas, com a ajuda de Majka, apenas conseguiu deixar para trás o galês na última subida, levando consigo Richie Porte. No entanto, Thomas, num terreno em que se sente mais cómodo, conseguiu anular a diferença que lhe retirava o triunfo na competição e ofereceu a décima vitória à Sky em 2016. Por fim, Rui Costa ficou no 10º lugar da geral individual.



Ainda assim, Diego Costa não se deve livrar de mais uma suspensão e dificilmente vai continuar no futebol inglês (já está muito marcado, à semelhança do que acontecia com Suárez) - Gareth Barry, o médio do Everton que se envolveu com Diego Costa, veio dizer que o atacante do Chelsea afinal não o mordeu. O espanhol foi expulso após reagir mal a um lance mais duro e depois foi agressivo para com o árbitro, pelo que dificilmente escapará a mais um castigo. 

Etiquetas: , ,