Rumo à Bola de Ouro'2016

Desde que Ronaldo e Messi se erigiram como os melhores da sua geração, dividindo entre si a maioria dos galardões individuais, a “rivalidade” entre ambos transfigurou a forma como futebolistas, adeptos e o universo do futebol em geral encaram a Bola de Ouro. Nesse sentido, o Visão de Mercado irá mensalmente (com 2 top's extra no meio e final do Ano, com pontuações a dobrar) indicar num ranking aqueles que mais fizeram para conseguir o prémio de melhor jogador do Mundo de 2016 com critérios bem ponderados, ilustrando uma espécie de corrida entre as várias estrelas do futebol mundial. A ideia passa por atribuir uma pontuação aos jogadores que mais se destacaram nesse mês para que no final deste ano civil seja possível, de uma maneira justa, eleger aqueles que foram verdadeiramente os melhores.

Um mês recheado de destaques (nomes como Slimani, Jonas, Morata, Alex Sandro, Callejón, Kroos, Insigne ou Eriksen também podiam ter figurado neste Top). Mas tendo em conta a maneira como o individual contribuiu para o sucesso coletivo, este é o "Rumo à Bola de Ouro'2016" de Janeiro:

1.º Neymar Jr. - Talvez o melhor jogador do Mundo nesta temporada. O brasileiro continua a desequilibrar como só ele sabe e para além da sua irreverência tem mostrado um sentido coletivo que não era conhecido dele. Marcou 5 golos e deu outros 2 a marcar em Janeiro, tendo sido um dos principais obreiros pelas 6 vitórias do Barça nos 7 jogos que disputaram no mês.
2.º Paulo Dybala - A maneira como se impôs no vice-campeão europeu foi um aviso claro para o que aí estava, ainda para mais numa fase em que a Vecchia Signora atravessava uma crise de resultados. O argentino é um craque, tem sido o melhor jogador da Juventus este ano (top-2 do Calcio), não só pelo que marca como pelo que oferece, sendo um dos avançados que melhor define no último terço. Num mês 100% vitorioso para a sua equipa (7 vitórias em 7 jogos), fez 5 golos e 5 assistências.
3.º Gonzalo Higuaín - E se Dybala é top-2 na Serie A até ao momento, está claro que o n.º 1 pertence a Higuaín. O avançado do Nápoles lidera a tabela de melhores marcadores com 23 golos, mais 11 do que Bacca, Dybala e Éder, que seguem em segundo, e voltou a fazer o gosto ao pé várias vezes no mês. Em 6 jogos, das quais 5 vitórias e uma derrota, marcou mais 6 golos.
4.º Lionel Messi - O penta-Bola de Ouro iniciou o ano da melhor maneira contribuindo de forma decisiva para 7 vitórias e um empate em 8 jogos do Barcelona. Apontou nada menos do que 8 golos, tendo o tento marcado ao Atlético sido decisivo para um maior avolumar da distância para os rivais de Madrid. No entanto, nesta fase anda com melhor estatísticas que futebol.
5.º Karim Benzema - O melhor jogador do Real Madrid em Janeiro. Fez 7 golos (e deu outro a marcar) em 3 vitórias e 2 empates da sua equipa, mas nesses resultados menos favoráveis não se coibiu de deixar a sua marca, tendo sido dele o golo do empate frente ao Bétis e um do empate frente ao Valencia.
6.º Gareth Bale - O galês apareceu a um ritmo alucinante com Zidane, mas um lesão tardia "roubou-lhe" um lugar mais acima no Ranking. Em apenas 3 encontros fez 5 golos e uma assistência, registos influentes nas duas vitórias e um empate (onde fez o gosto ao pé) neste período.
7.º Kun Agüero - Tirando o nulo frente ao Everton, marcou ou assistiu nos restantes 6 jogos do mês. Feitas as contas, 7 golos e duas assistências, importantes nas 4 vitórias, 2 empates e uma derrota do City nos 31 dias de Janeiro.
8.º Luis Suárez - El Pistolero fez 5 golos e 3 assistências no mês, tendo a goleada ao Bilbao na qual fez um hat-trick, sido o seu ponto alto. Foi o terceiro elemento mais valioso da equipa, mas um contributo indispensável para o rendimento quase perfeito da equipa, travado apenas pelo empate no dérbi frente ao Espanhol no início do mês.
9.º Cristiano Ronaldo - Mais um mês estatisticamente fabuloso, com 5 golos e 3 assistências, mas contra si tem o facto de ter ficado em branco nos dois encontros em que os Merengues não ganharam neste espaço de tempo. À parte disso, terminou o mês (já no dia 31) com o 39.º hat-trick da sua carreira, com um golo que pode ser candidato aos melhores do ano.
10.º Zlatan Ibrahimović - Como o vinho do Porto. Aos 34 continua a marcar como sempre fez (é o melhor marcador do campeonato) e continua a ser decisivo, oferecendo vários triunfos ao seu PSG. Fez mais 5 golos num mês perfeito para a equipa de Laurent Blanc, que venceu todos os 6 encontros que disputou.
11.º Paul Pogba - O escudeiro de Dybala. O médio ofensivo que a Juventus não tem. Pogba é o patrão do meio campo da Juventus, passando por ele todo o jogo ofensivo da equipa italiana. Terminou o mês com um jogaço na goleada ao Chievo, mas o seu mês (e mais um dos que contribuiu para o 6 em 6) foi bem produtivo, com 2 golos e 3 assistências nos seus registos.
12.º Kevin De Bruyne - O reforço sonante dos citizens continua a justificar o seu elevado valor, apresentando sempre rendimento quando está em campo. Teve participação direta em 4 golos (2 assistências), e com isto foi peça fulcral nas 4 vitórias (2 empates e uma derrota) nos 7 jogos do City. Apesar disto, vai falhar os próximos meses devido a uma grave lesão sofrida frente ao Everton (onde marcou e assistiu em apenas 24 minutos).
13.º Claudio Bravo - 2 golos sofridos, 3 clean-sheets e muita segurança nas suas ações. Mais um ativo super valioso num dos melhores plantéis da história. O chileno continua a ser sinónimo de pontos e voltou a mostrá-lo em Janeiro, especialmente nas vitórias apertadas frente a Málaga e Atlético.
14.º Roberto Firmino - Flop com Rodgers, indiscutível com Klopp. O brasileiro, especialmente quando joga a avançado, está a apresentar um rendimento brutal, principalmente se tivermos em conta a irregularidade da sua equipa e em Janeiro foi crucial nos encontros frente ao Arsenal (bis) e no jogo de loucos em Norwich (4-5), em que marcou mais 2 e assistiu noutro.
15.º Ángel Di María - Juntamente com Ibra, tem sido o melhor jogador do campeonato francês e um dos poucos a dar luta a Özil na competição pelo melhor assistente nas principais ligas europeias. Lançado especialmente a partir da direita (11 golos e 7 assistências em 18 jogos nesta posição), fez 3 golos e uma assistência no mês, numa sequência de 5 vitórias em 5 encontros.


Etiquetas: