«Aqui é mais correr, correr; Na Holanda era à base de construção e passe»

Em Portugal é mais força e na Holanda mais à base da técnica? A verdade é que os últimos jogadores que chegaram a nossa Liga provenientes da Eredivisie não tem vingado, a excepção foi Wolfswinkel que tinha um perfil competitivo diferente de Labyad, Ola John ou Djuricic.

Bilal Ould-Chikh, numa entrevista ao Goal, confessou não estar arrependido de ter trocado o Twente pelo Benfica. O extremo holandês continua a sua fase de adaptação ao clube da Luz e ainda sem ter marcado presença na equipa principal, mas, mesmo com poucos minutos na equipa B, diz que não voltaria atrás com a sua decisão. "Escolhi jogar aqui e não estou arrependido. Quero aprender tudo o que conseguir com esta idade e, com essa experiência, posso seguir em frente. Eu podia ter ficado na Holanda, mas vim para o Benfica e fiz essa escolha de forma consciente. É sempre difícil não jogar, mas sei como lidar com isso. Tenho de manter a calma".

O jovem, de 18 anos, falou ainda da sua evolução e adaptação: "Não é mais difícil por estar no Benfica. Quero aprender tudo o que conseguir com esta idade. Com essa experiência, posso seguir em frente. Eu poderia ter ficado na Holanda, mas fiz essa escolha de forma consciente", começou por dizer. Acrescentando que: "Tive que me acostumar aos exercícios. No início treinava com o plantel principal, agora, principalmente com o segundo. A ênfase é sobre o físico. A intensidade de treino é muito maior do que na Holanda. Não há comparação. O futebol é muito mais físico, mesmo na II Liga. Na Holanda, é mais à base de construção e passe. Aqui é mais correr, correr. Desde que cheguei, sinto-me fisicamente mais forte. E isso é bom, porque para vingar no futebol português tenho que ser forte".

Sobre a vida em Portugal, referiu: "Estou a divertir-me, não posso reclamar. Normalmente levanto-me por volta das 7h30 e às 9 horas tenho de estar no centro de treinos. Tomamos o pequeno-almoço, vamos para o ginásio e, depois, treinar. Por volta do meio-dia estamos livres e normalmente estou por casa, a jogar Playstation ou a ver futebol. Adoro isso. E já não estou tão ansioso por sair à noite, às vezes gosto apenas de ir para a praia". Já no que diz respeito ao futuro revelou que Hélder lhe disse que ia jogar mais vezes nesta 2.ª metade da época. "Podia ter saído na última janela de transferências, mas não teria sido bom. Só quero terminar a temporada com o Benfica. Estou aqui há meio-ano e o clube tem fé em mim. Tudo o que posso fazer é continua a treinar no duro para estar a 100 por cento. Se continuar assim, serei recompensado. Estou a começar e ainda tenho que percorrer um longo caminho, mas não desisto e tenho paciênciaA concorrência é feroz na equipa B. Mas eu trabalho duro e o treinador diz que, eventualmente, vou jogar mais vezes do que nos primeiros seis meses".

Etiquetas: