Fora do Radar: Vincenzo Grifo

O futebol não acontece só na Premier League e na La Liga, não passa só por Old Trafford e Camp Nou. Fora do Radar é uma rubrica com o objectivo de dar a conhecer jogadores do futebol mundial, independentemente da idade, que passam despercebidos ao adepto comum.

Na Alemanha, não são só os grandes clubes que têm capacidade para formar jogadores talentosos. Um craque tanto pode estar a evoluir na academia do Bayern ou do Schalke como num qualquer emblema da terceira divisão. Vincenzo Grifo, que completou o seu processo de formação no Hoffenheim, tem sido uma das grandes estrelas da Bundesliga II. A alcunha de "Çalhanoglu da segunda" encaixar-lhe-ia na perfeição. Para entender, basta ver a colectânea incrível de livres directos que tem só nesta época e na anterior. O alemão de origem italiana não foi capaz de ganhar espaço no Hoffenheim, tendo andado de empréstimo em empréstimo até chegar ao Friburgo, onde tem sido uma figura preponderante. Se a equipa está em óptima posição para regressar à primeira divisão (em 2.º lugar, apenas atrás do RB Leipzig), muito tem para agradecer ao seu médio ofensivo, que, em 17 jogos, leva um excelente registo de 8 golos. A qualidade do jogador não se limita às bolas paradas, destacando-se também pela visão de jogo e capacidade no último passe. Ainda assim, a facilidade de remate que possui é notoriamente um dos principais pontos fortes do seu jogo e a principal arma que tem para desequilibrar. Apesar de actuar descaído sobre uma ala, procura invariavelmente o corredor central para fazer o passe ou procurar a baliza, não sendo, de todo, um jogador que fique colado ao flanco. Vincenzo Grifo tem 22 anos, já não é um jovem que está a aparecer no futebol profissional. Contudo, é de crer que a qualidade que está a demonstrar possa atrair as atenções de diversos emblemas, sendo expectável que chegue em breve à primeira divisão, seja ao serviço do Friburgo ou de um clube com outros objectivos. Falta-lhe, sobretudo, ganhar alguma consistência ao longo dos 90 minutos (é de altos e baixos), pois é um jogador a quem não falta talento. E, sabendo que as bolas paradas são um capítulo do jogo que tem um papel cada vez mais decisivo, não se pode desprezar um especialista deste calibre. 

Etiquetas: