20: Um "avión" de despedida

Parecia que estava a adivinhar a despedida. Montero quis deixar Alvalade como herói, assinando o golo da vitória do Sporting sobre a Académica. Os leões continuam a ter dificuldades contra adversários do fundo da tabela e a segurança defensiva de há algumas jornadas parece ter-se perdido nesta caminhada rumo ao objectivo. Mané e Semedo foram as surpresas de Jorge Jesus no 11, mas o nível de João Pereira é o maior factor de espanto na equipa que continua líder do campeonato. Mas com o Benfica à perna e imparável no que toca à marcação de golos. Com Gaitán de regresso para espalhar magia e Jonas a manter a pontaria afinada, a equipa de Rui Vitória segue numa série incrível de vitórias e está indiscutivelmente na melhor fase da temporada. Não fosse o golo de Iuri Medeiros, o miúdo que aponta ao regresso a Alvalade, e a lesão de Lisandro e teria sido mais uma jornada sem qualquer aspecto negativo. No Estoril, Peseiro voltou a ganhar, e isso é o mais importante para recuperar os índices de confiança da equipa do FC Porto, que não vencia no distrito de Lisboa há 14 jogos. A capacidade de reacção dos azuis e brancos, que se viram a perder bem cedo, mostra que há vontade de inverter a fase negativa e ainda lutar pelo título. Em boa forma estão também os conjuntos do Vitória de Guimarães e do Belenenses. A equipa de Sérgio Conceição, que não perde há várias jornadas, venceu na recepção ao União da Madeira e igualou o Paços de Ferreira no 5.º lugar. Otávio está finalmente a mostrar o talento que tinha evidenciado no Brasil, e Henrique também vai deixando a sua marca nos encontros. Os azuis também bateram uma equipa insular, vencendo no estádio do Marítimo e entrando na primeira metade da tabela. Velázquez está a trazer muitas melhorias em termos exibicionais e vai conseguindo explorar o talento de Sturgeon ou Miguel Rosa, sendo de destacar também o impacto positivo dos reforços Bakic e Ortuno. Só uma equipa da Madeira conseguiu vencer nesta jornada. O Nacional quebrou a crise e derrotou o Tondela por 3-1 (Agra foi o melhor em campo), num jogo em que o presidente tondelense deixou muitas críticas aos jogadores no final da partida. Se continuar assim, Petit nada poderá fazer para que a estadia do Tondela entre os melhores dure mais do que uma temporada. As equipas que lutam pela Europa não tiveram bons resultados nesta jornada. O Braga não foi além de um empate no Bessa, frente a um Boavista bem ao seu estilo. Já sem muitas hipóteses de chegar ao trio da frente, a equipa de Paulo Fonseca terá de manter-se no quarto lugar. O Paços de Ferreira empatou em Arouca, com mais um golo de Bruno Moreira, e continua a realizar uma excelente temporada. A turma de Lito Vidigal perdeu terreno em relação ao Rio Ave, que voltou aos triunfos, derrotando o Vitória de Setúbal no Estádio dos Arcos. As bolas paradas fizeram a diferença para a equipa da casa, que superou um adversário que está claramente na pior fase da temporada. Veremos se a saída de Suk não terá um peso demasiado negativo no conjunto orientado por Quim Machado. 

Melhor equipa: Benfica - Há uns tempos a qualidade exibicional da equipa de Rui Vitória deixava a desejar, mas actualmente as vitórias já têm nota artística. Os encarnados tornaram-se numa máquina muito eficaz do ponto de vista ofensivo (os lances dos dois golos na segunda parte são um bom exemplo disso) e têm maior capacidade de controlar as partidas. Houve quem tivesse feito o funeral aos bicampeões, mas estão na corrida. 
Pior equipa: Marítimo - A entrada de Nelo Vingada por enquanto não está a ser benéfica para a equipa. Se a derrota no Dragão acaba por ser perfeitamente aceitável, um desaire em casa frente ao Belenenses já é menos tolerável. Os madeirenses estão na parte inferior da tabela e estão bastante limitados em termos de qualidade (só Dyego Souza parece fazer a diferença). É preciso cuidado para não se colocarem em apuros.
Melhor 11: Ventura (Belenenses), João Pereira (Sporting), Layún (FC Porto), Marcelo (Rio Ave), Semedo (Sporting), Cafú (Vitória), Adrien (Sporting), André André (FC Porto), Agra (Nacional), Pizzi (Benfica) e Jonas (Benfica).
Jogador da semana: Jonas (Benfica) - Mais uma jornada em que consegue calar os críticos que lhe previam uma quebra de rendimento acentuado nesta temporada. O brasileiro continua a marcar golos de forma consecutiva e é, por esta altura, um jogador preponderante na equipa do Benfica, pelo que joga e faz jogar.
Jogador Desilusão: Yohan Tavares (Estoril) - Exibição desastrada frente ao FC Porto. Sempre perdido defensivamente e a inventar no momento em que tinha bola. O central parece ter regredido, e depois de uma fase em que chegou a ser colocado na rota de bons clubes neste momento até perdeu protagonismo para o companheiro de sector, o brasileiro Diego Carlos.
Jogador a seguir: Hackman (Boavista) - Supostamente é central, mas nos axadrezados já jogou um pouco em todo o lado. Nos últimos encontros jogou essencialmente a lateral, tanto na direita como na esquerda, mas frente ao Braga, tal como tinha acontecido na 2.ª parte frente ao Tondela, actuou a médio, impressionado mais uma vez pela sua capacidade física, e maneira como enche o campo. Aos 20 anos o ganês ainda tem muito para melhorar, mas se continuar assim pode permitir um encaixe aos axadrezados.

Etiquetas: