10 verdades que ficam do Benfica-FC Porto

No futebol nada é garantido e o FC Porto conseguiu fintar o fatalismo e deu uma excelente resposta na Luz, obtendo os três pontos. Os dragões estavam obrigados a vencer, de modo a continuarem na luta pelo título, enquanto que o Benfica, apesar de ter marcado primeiro, não conseguiu o triunfo e, após 11 vitórias consecutivas, voltou a tropeçar, novamente diante de um grande rival. Assim, o balão de oxigénio encarnado esvazia-se um pouco, enquanto que os azuis e brancos ganham vida e ficam desde já com a certeza da vantagem no confronto directo perante as águias. Veremos quais as consequências imediatas deste desfecho, mas, para já, aqui ficam 10 verdades do Benfica-FC Porto:

1.ª - Rui Vitória não se dá bem nos Clássicos - O Benfica chegava ao duelo com o FC Porto num momento completamente diferente dos anteriores confrontos com os rivais, mas o desfecho foi exactamente o mesmo. Mais uma derrota, a 5.ª em 5 jogos esta época, algo que nenhum treinador tinha feito numa mesma época no futebol português. Os encarnados foram iguais a si próprios, isto é, apresentaram um grande volume ofensivo, produziram várias oportunidades de golo, mas desta vez faltou a eficácia de outros encontros. No entanto, a equipa voltou a apresentar-se algo desequilibrada, enquanto que no banco Rui Vitória não tomou as melhores opções no decorrer da partida.
2.ª - José Peseiro reforça posição - O técnico de 55 anos entrava na Luz , onde os dragões não venciam desde 2012, com o estigma do "pé frio" e ao leme de uma equipa fragilizada depois da derrota com o Arouca, mas este triunfo acaba por ser uma importante resposta aos críticos. Uma vitória que, além de relançar a luta pelo campeonato, pode ajudar a uma maior estabilidade, a todos os níveis, principalmente tendo em conta que o antigo treinador do Al Ahly, apesar de ter mais um ano de contrato, não está totalmente seguro para a próxima temporada.
3.ª - Não é só Jonas que desaparece - Durante a semana voltou a falar-se bastante do pouco impacto do avançado brasileiro nos jogos grandes, algo que viria novamente a confirmar-se. Além de não conseguir marcar, Jonas deu-se pouco ao jogo e não conseguiu ter o peso habitual no futebol ofensivo das águias. Por outro lado, quem também ficou a assistir foi Gaitán, que, apesar de ser o melhor jogador da Liga, ainda não conseguiu desequilibrar em qualquer jogo diante dos rivais nesta temporada.
4.ªCasillas venceu o duelo com Júlio César - No confronto entre dois guarda-redes com dimensão mundial, Iker levou a melhor, tendo sido decisivo com uma série de intervenções de grande nível. O espanhol não tem sido propriamente feliz no Dragão, mas nos duelos com os encarnados foi sempre uma unidade preponderante, enquanto que em relação ao brasileiro a situação é inversa. Na verdade, Júlio César tem sido crucial na maioria dos encontros, mas nos jogos grandes não tem apresentado o mesmo nível.
5.ª Há muito para trabalhar defensivamente - Benfica e FC Porto protagonizaram um belo espectáculo, exacerbado pelo elevado número de oportunidades para ambos os lados, pelo que os dois técnicos terão aspectos a rever em futuros jogos deste calibre. Os encarnados são uma equipa muito ofensiva e que se desequilibra com facilidade, sendo que a discussão em torno do meio-campo com apenas duas unidades (Sanches é bom, mas não aguenta tudo e Samaris não é Fejsa, enquanto que Pizzi teve que ajudar muito o lateral) voltará à mesa. Já no caso dos dragões, são visíveis as dificuldades que a equipa apresenta sem bola, sendo fácil para o adversário entrar no último terço do terreno.
6.ª - Gonçalo Guedes é o último da hierarquia - O Clássico fica marcado pelo regresso de Salvio à competição quase nove meses depois, tendo isso como consequência o espaço cada vez mais reduzido para uma das principais apostas de Rui Vitória na primeira fase da temporada. No fundo, Guedes passou de uma situação em que era titular de uma maneira regular (foi inclusive chamado à Selecção) para relegado para a bancada.
7.ª - Chidozie oferece mais qualidade com bola - O sector defensivo do FC Porto usa e abusa do chutão, pelo que o jovem nigeriano, além de não ter acusado a pressão de se estrear na Liga diante do Benfica, acrescentou outro critério na primeira fase de construção. Quando muitos esperavam que a opção de José Peseiro fosse recuar Danilo para o eixo defensivo, o técnico azul e branco deu uma oportunidade a Chidozie e o menino de 19 anos cumpriu bem a sua função.
8.ªÉ tempo de fazer regressar Nélson Semedo - André Almeida tem vindo a cumprir nos encontros anteriores e até se percebe a manutenção da aposta, mas perante um extremo com a qualidade individual de Brahimi sente maiores dificuldades. Assim, após nova derrota diante de um rival, esta será a altura certa para fazer regressar o lateral que encantou na primeira fase da temporada. Com Semedo, o Benfica volta a contar com um elemento mais rápido e potente e que desequilibra ofensivamente com facilidade.
9.ª Campeonato das precipitações - Esta Liga tem sido pródiga em julgamentos precipitados, mas também em presunções ilididas. O Benfica, depois de perder com o Sporting na Luz, ficou a sete pontos da liderança e muitos vaticinaram o fim dos encarnados. No entanto, os comandados de Rui Vitória reagiram da melhor maneira, efectuando uma recuperação notável e reentrando na luta pelo título. Por outro lado, durante esta semana muitos fizeram o funeral ao FC Porto, mas o conjunto de José Peseiro, mesmo entrando a perder na Luz, deu a melhor resposta aos críticos e continua com o objectivo principal da temporada na mira.
10.ª - Os programas de segunda-feira não irão ter material - Numa época marcada por intensos debates sobre arbitragem, Artur Soares Dias deu uma excelente resposta, em contraste com o trabalho realizado no mesmo desafio dois anos antes, não ficando ligado a qualquer lance de relevo na história do jogo. Tendo em conta que o árbitro da AF Porto estava a ser observado atentamente para ascesder ao grupo de elite da UEFA, esta boa exibição terá deixado o juiz e os observadores satisfeitos.

Rodrigo Ferreira

Etiquetas: , ,