Karanka admite interesse em defesa do Benfica; 3 portugueses podem beneficiar do castigo da FIFA ao Real e Atlético; Paulo Gonçalves abandona Dakar

Que jogadores necessitam os merengues e colchoneros para fazer frente ao Barcelona? Os 2 plantéis parecem ser sólidos e no último Verão houve uma intenção de aumentar a profundidade dos mesmos. Mas continua a faltar um recuperador de bolas nos Blancos e o conjunto de Simeone não tem uma alternativa a Arda.

Atlético de Madrid e Real foram proibidos pela FIFA de inscrever jogadores nos mercados de transferências de agosto de 2016 e janeiro de 2017. A punição impede a contratação, mas permite a venda, renovação e a inscrição de jogadores que atualmente estejam emprestados por colchoneros e merengues a outros clubes. Como é o caso dos portugueses Sílvio, do Benfica, cedido pelo Atlético de Madrid, André Moreira, guarda-redes que está no União mas pertence aos Colchoneros; e Fábio Coentrão, a jogar no Mónaco por empréstimo do Real Madrid. E tanto o AS como a Marca, adiantam que os grandes de Madrid equacionam chamar os jogadores emprestados no período em que estarão impedidos de registar novos contratos. O Real tem cedido Fábio Coentrão (ao Mónaco), Asensio (ao Espanhol), Vallejo (Zaragoza), Lucas Silva (Marselha), Llorente (Rayo), Omar Mascarell (Gijón) e Álvaro Medrán (Getafe). Já o Atlético emprestou Guilavogui (ao Wolfsburgo), Cerci (Milan), Leo Baptistão (Villarreal), Javi Manquillo (Marselha), Borja Bastón (Eibar), Silvio (Benfica), André Moreira (União da Madeira), Santos Borré (Cali), Emiliano Velázquez (Getafe), Héctor Hernández (Elche), Mensah (Getafe) e Bounou (Zaragoza).

Apesar do bom europeu sub-21 ainda não foi utilizado no campeonato, mesmo com as baixas que as águias tem tido na lateral e centro da defesa - Aitor Karanka, treinador do Middesbrough, assumiu hoje que Victor Lindelof, defesa do Benfica, é um dos nomes referenciados para reforçar a equipa neste mercado de Inverno. «É um nome que está na nossa lista, pois é muito bom jogador. No entanto, neste momento ainda não está perto», afirmou o antigo adjunto de Mourinho.

A sorte não quis nada com o piloto natural de Esposende, que até era apontado como o principal favorito - Ainda não é este ano que um português vence o Dakar. Paulo Gonçalves, que liderou a prova durante alguns dias, fruto de uma sucessão de azares além de ter perdido a liderança foi hoje forçado a abandonar devido a uma queda. Segundo nota emitida pela assessoria de Imprensa do piloto português, Paulo Gonçalves «foi encontrado inconsciente pouco depois do Way Point 2 e acabou por ser transportado para o hospital mais próximo para ser submetido a observação médica». Mais tarde a assessoria de imprensa do campeão mundial de todo-o-terreno de 2013 afirmou que Paulo Gonçalves se queixa de muitas dores de cabeça, suspeitando-se que tenha sofrido um traumatismo craniano sem gravidade.


Etiquetas: , ,