Reviravolta incrível do Sporting; Leões (que foram superiores) chegaram ao intervalo a perder por 2-0 mas Slimani (que tinha estado perdulário) garantiu os 3 pontos em cima dos 90; Wilson Eduardo manteve a tradição; Rafa desequilibrou no 1.º tempo mas falhou o 3-2 na cara de Patrício; Kritsyuk encheu a baliza; William esteve medíocre; Adrien voltou a estar em destaque


Sporting 3-2 Sp. Braga (Adrien 57' g.p, Montero 76' e Slimani 90'; Wilson Eduardo 40' e Rafa 45')

O Sporting chegou ao intervalo a perder por 2-0 mas com uma 2.ª parte incrível conseguiu dar a volta ao marcador e vai fechar a 1.ª volta pelo menos com mais 4 pontos que os rivais. O Sp. Braga voltou a colaborar para mais um jogo espectacular, esteve perto de ser novamente a "besta negra" de Jesus, mas os leões, que mesmo assim abusaram do desperdício, acabaram por justificar a vitória. Slimani, que tinha desperdiçado duas situações claras, voltou a ser o herói ao consumar a reviravolta em cima dos 90, num jogo em que a boa exibição de Adrien voltou a contrastar com a mediocridade de jogo de William Carvalho, de longe a pior unidade do 1.º tempo; Nos minhotos, Rafa foi o jogador mais, ao participar em 2 golos, e a criar várias situações de desequilíbrio, mas falhou a hipótese de garantir os 3 pontos ao perdoar o 3-2 na cara de Patrício; Wilson Eduardo, como é habitual, também voltou a marcar ao clube que o ofereceu no último Verão a custo zero ao emblema minhoto.

Em relação ao jogo, o Braga deixou logo o aviso no primeiro minuto, mas Wilson Eduardo, em boa posição,atirou ao lado. Pouco depois, Pedro Santos atira de fora da área para a primeira defesa de Patrício, numa fase em que o Braga assumia o controlo pleno do jogo e assustava nas transições. Aos poucos o Sporting foi melhorando, mas João Máro e Slimani (tentou um chapéu) isolados permitiram a defesa de Kritciuk. Depois foi Paulo Oliveira, num canto de João Mário, que cabeceou ao poste, mas, contra a corrente, o Braga adiantou-se no marcador, por intermédio de Wilson Eduardo num disparo cruzado, depois de uma excelente acção de Rafa. Esperava-se uma reacção dos leões (Slimani chegou tarde a um centro de Bruno César), mas o Braga voltou a ser mortífero, num lance em que Rafa, aproveitando a auto-estrada no eixo defensivo leonino (Paulo Oliveira ficou muito mal na fotografia), fez o segundo. No segundo tempo, Jesus lançou o irreverente Gelson para o lugar do medíocre William, mas foi Ruiz o primeiro a ameaçar permitindo nova defesa do guardião bracarense, enquanto que, na baliza oposta, Pedro Santos aproveitava uma escorregadela de Jefferson para atirar à baliza (Patrício sacudiu). A partir daqui o líder assumiu o controlo pleno do jogo e, apesar de algumas más decisões, encostou o Braga às cordas. Numa grande penalidade de André Pinto (mão na bola), Adrien reduziu aos 57 minutos. Depois Slimani (cabeceamento ao lado) e Gelson (fintou com classe um defesa, mas permitiu nova estirada de Kritciuk) não foram eficazes, mas Montero, na sequência de um cruzamento-remate de Jefferson, recebeu e restabeleceu o empate. Esperava-se o assalto final do Sporting à vitória, mas foi o Braga a desperdiçar. Rafa, completamente isolado, permitiu uma enorme defesa de Patrício e, aos 90, Slimani, até aí perdulário, empurrou para o fundo da baliza um excelente cruzamento de Bryan Ruiz. Estava consumada a reviravolta. Nos descontos Goiano ainda esteve perto do empate, mas o resultado não se alterou.

Sporting - Vitória à campeão. No último jogo da primeira volta da Liga os Leões mostraram capacidade para vencer após estarem a  perder  por 2 golos frente a uma das melhores equipas do país, e fecham assim uma semana perfeita, que pode ser fundamental nas contas do título. A equipa mostrou uma dinâmica ofensiva muito forte, criou quase uma dezena de oportunidades de golo, no entanto a ineficácia e erros defensivos levaram o jogo para o intervalo 2-0, sendo que a avalanche ofensiva acabou por surtir efeito no segundo tempo, com 3 golos. Individualmente, Rui Patrício não tem culpas nos golos e fez uma defesa crucial quando estava 2-2 (impressionante mancha aos pés de Rafa). Quem teve um jogo bastante fraco foi Paulo Oliveira, que juntou às habituais perdas de bola na saída (uma delas culminou no segundo golo) uma incapacidade para lidar com a vertigem de Rafa, não só no lance do tento do ala bracarense mas também quando este se isola perante Patrício, ao passo que William continuou num nível medíocre, sem qualidade no momento com bola (vários erros no passe) e deixando o seu raio de acção sempre bastante permeável (praticamente não recupera bolas), tendo ainda entregue a bola ao Braga no primeiro golo dos Minhotos. Em sentido contrário voltou a estar Adrien, fortíssimo na pressão e no roubo de bola e com muito critério no transporte e no passe, empurrando a equipa para a frente. Bruno César não deu sequência ao impacto que teve na estreia, enquanto Ruiz, apesar de não ter estado ao nível recente, acabou por ser decisivo ao cruzar com muita precisão para o golo de Slimani. Já Montero entrou e apesar de não ter sido feliz em diversas acções marcou na única oportunidade que teve e Slimani passou 90 minutos com uma ineficácia que não tem sido habitual (pelo menos 3 chances claras desperdiçadas) mas voltou a ser o herói (este campeonato é cada vez mais “o de Slimani”), com um excelente golo de cabeça ao seu estilo.

Sporting Braga - Os Gverreiros estiveram perto de voltar a bater o pé ao líder do campeonato, mas acabaram por não ter capacidade para contrariar a qualidade do conjunto de JJ. Ainda assim, os homens de Fonseca voltam a deixar uma boa imagem, confirmando-se como uma das equipas com ideias mais definidas e estabilizadas do campeonato. No plano individual, Kritciuk esteve em destaque, com belas intervenções face a Paulo Oliveira, João Mário, Gelson ou Slimani, enquanto que dupla Ricardo - André Pinto permitiu demasiadas veleidades no seu raio de acção (não foram penalizados antes pela ineficácia Leonina). Wilson Eduardo manteve a tradição de marcar ao Sporting (e saiu aplaudido de Alvalade) e Rafa foi o principal agitador da equipa, marcando um belo golo mas não conseguindo bater Patrício e fazer o 2-3 que poderia ter significado um desfecho completamente distinto no encontro.

Etiquetas: ,