NBA: Os melhores da época até ao momento

A temporada da NBA vai sensivelmente a meio, pelo que é hora de fazer um pequeno balanço do que tem sido 2015-16. Como habitualmente, existem equipas que desiludem, outras que surpreendem pela positiva, jogadores que se eclipsam e outros que explodem. A classificação geral ainda tem muito por onde virar, mas já há equipas que a esta altura pensam pura e simplesmente no que irão fazer durante o Verão. Cleveland e Golden State lideram as respectivas conferências, sendo que no caso do Oeste, tanto os líderes como San Antonio levam já confortável vantagem sobre restantes opositores. No Este, as mudanças na tabela, abaixo do primeiro posto, têm sido uma constante, estando tudo em aberto para as oito vagas finais, excluindo Brooklyn e Philadelphia. Seguem-se então alguns destaques em termos colectivos, e referências aos prémios individuais.

Surpresa
Não havendo equipas que estejam a superar em muito as expectativas, a grande surpresa da primeira parte da temporada é o salto qualitativo da conferência de Este em relação à congénere da costa oposta. Neste momento, as 20 vitórias de Orlando não chegam para um lugar entre os oito primeiros, enquanto que Utah mantém sólidas aspirações aos playoffs, não obstante o seu recorde bem negativo.

Desilusão
New Orleans e Milwaukee falharam por completo o percurso ascendente que se lhes previa, mas a maior desilusão da temporada tem sido Phoenix. Os Suns, que há dois anos surpreenderam tudo e todos, entraram numa espiral negativa,e os maus resultados até agora obtidos confirmam a tendência. Um treinador desacreditado, jogadores descontentes, indisciplina, e mais uma época perdida para Eric Bledsoe explicam o fraco rendimento da equipa, potenciado por um defeso repleto de gaffes.

Sob o radar
O grande destaque até agora tem sido o desempenho de Golden State, mas sem dar muito nas vistas, os San Antonio Spurs caminham com naturalidade num impressionante registo de 36 vitórias e apenas 6 derrotas. Invictos em casa, os Spurs conseguiram enquadrar Aldridge no processo ofensivo, e voltam a ter em Leonard um elemento que faz a diferença.

Em queda livre
Poucas ilusões haveria em relação aos Lakers, mas a equipa de LA parece apostada em bater todas as expectativas, pela negativa. Um ano que deveria servir para dar entrosamento e minutos a jovens como Randle ou Russel está mais direccionado para o Kobe Tour. Mas numa cidade virada para o entretenimento, convém também perder com estilo.

MVP
Stephen Curry... por enquanto. O base lidera a lista de marcadores com quase 30 pontos por jogo, e tem estado de mão quente em certos jogos que estiveram tremidos. Mas seria injusto não destacar Russel Westbrook, que tem carregado Oklahoma quando Durant fica de fora, Butler (jogos enormes, a pontuar e a defender), e ainda Kawhi Leonard, cujas estatísticas não são tão impressionantes, mas se tem afirmado como talvez o mais completo jogador da actualidade, no que respeita a defesa e ataque.

MIP
CJ McCollum será uma escolha segura (já se esperava a progressão, dada a estratégia de Portland), Jae Crowder parece finalmente afirmar-se, mas para já vale a pena referir Andre Drummond. O poste subiu de nível, e afirma-se como um dos melhores e mais dominantes na sua posição. Numa liga cada vez menos virada para os jogadores interiores, ele assumiu-se como referência de uma equipa que está a fazer uma excelente temporada, ao mesmo tempo que apresenta números impressionantes, em especial na categoria dos ressaltos.

Sixth Man
Alec Burks seria a escolha, não fosse uma lesão que o arrumou até final da temporada. Ryan Anderson e Will Barton têm sido armas letais a partir do banco, mas o recorde das suas equipas não abona a seu favor. Assim sendo, o prémio vai para Victor Oladipo, dos Orlando Magic. O base foi "despromovido" para a segunda unidade, funcionando como o seu líder. Não só os seus números parecem melhorar quando salta do banco, como a própria equipa obtém melhores resultados.

Rookie
A classe de 2015 não tem desiludido, e jogadores como Okafor ou Porzingis parecem destinados a uma carreira de sucesso. Mas a grande figura tem sido Karl-Anthony Towns. Apesar da sua equipa estar no fundo da tabela, o rookie tem mostrado qualidade não só na defesa, o que se esperava, mas também no ataque. Aproveitando a ausência de Pekovic, cimentou a sua posição como titular, restando saber se mantém o ritmo agora que o montenegrino regressou.

Defensor
Kawhi Leonard é actual detentor do troféu, e a forma como defendeu Lebron James no último encontro com Cleveland é demonstrativo que pode bisar, mas não podemos esquecer o papel de Draymond Green. Ofuscado pelos splash brothers, o extremo fez sentir a sua presença aquando da sua ausência, num jogo em que sofreram 112 pontos na derrota em Denver. Seja a defender pequenos ou grandes, postes ou atiradores, Green faz sentir a sua força defensiva em todas as zonas do campo, além de ser o melhor ressaltador dos actuais campeões.

Visão do Leitor (perceba melhor como pode colaborar com o VM aqui!): Nuno R.

Etiquetas: